03 ago 2018

Principais desafios da amamentação e como lidar com eles

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

desafios da amamentação

Ainda na Semana Mundial do Aleitamento Materno, vamos falar novamente sobre AMAMENTAÇÃO! Quais são os principais desafios da amamentação e como lidar com eles?

Acredito que quanto mais falarmos sobre esse assunto, mais mulheres poderão consumir informação de qualidade. Mais mulheres serão incentivadas. E com certeza, isso contribui para que a fase da amamentação seja um sucesso. Afinal, sabemos que não é algo tão fácil como parece. Amamentar requer paciência e persistência.

Lembro de quando estava grávida e via meu corpo se transformando. Principalmente, os seios. E quando o apertei, assim por curiosidade, e saiu um líquido. Várias dúvidas surgiram: será que isso já é leite? tenho que preparar os seios? Será que esses bicos serão suficientes? Vou conseguir amamentar? Essa, aliás, é o nosso maior medo.

Segundo a psicóloga da Pro Matre Paulista, Mariana Bonsaver, as gestantes e mães lidam muito com a culpa neste período. “Elas se perguntam: não estou conseguindo amamentar, portanto, sou uma mãe pior por causa disso? Estou agindo de forma inadequada? É muito importante contar com a ajuda de profissionais e especialistas. Se está sendo difícil, não tenha medo e procure orientação”, diz.

O dr. Alberto d’Auria, obstetra da mesma instituição, explica que a mulher enfrenta uma mudança radical com a chegada da maternidade, rodeada de dores e alegrias, por isso é preciso contar com o apoio dos familiares. “Neste momento, é comum surgir o medo da mãe não conseguir ser boa o bastante. Quando ela está triste, espera palavras e atitudes de apoio para continuar lutando. A família entra para fortalecer os laços afetivos nesse instante de transformação da mulher e isso mostra um resultado fantástico no processo do aleitamento materno”, conta o médico.

Principais desafios da amamentação e como lidar com eles

Para auxiliar as mães da melhor forma neste momento, confira abaixo algumas dicas da Sílvia de Jesus Teixeira, enfermeira obstetra e consultora de amamentação da maternidade Pro Matre Paulista.

Como preparar as mamas? O que fazer nessa fase para ter muito leite? Será que meu mamilo é bom? Vou conseguir amamentar?

É importante buscar informação, participar de cursos para pais, conhecer grupos de apoio à amamentação e realizar as consultas de pré-natal. É fundamental adquirir confiança, conhecimento e segurança desde o começo. Atualmente, não são recomendados o uso de cremes na aréola e mamilos, exercícios para mamilos ou uso de buchas e conchas, pois não são eficazes para o sucesso da amamentação. Pode ser realizado o banho de sol, antes das 10h e depois das 16h por 15 minutos. A gravidez se encarrega do preparo da mama.

Quanto à produção do leite, a mãe deve observar se a mama aumentou de tamanho e como evoluiu ao longo da gestação. A produção do leite e seu volume ficarão evidenciados após o nascimento do bebê. Depois disso, procure orientações técnicas para melhorar a produção, se for necessário. O tipo de mamilo não define o sucesso da amamentação, mas sim a forma como o bebê mama, ou seja, pega e posicionamento. Mamilos planos e invertidos ou antecedentes de cirurgias mamárias exigem maior assistência logo após o nascimento do bebê mas não inviabilizam o aleitamento.

Leia também: como conciliar a amamentação com a volta ao trabalho

Em relação a conseguir amamentar, é importante reduzir a ansiedade nessa fase e se organizar previamente para a prática do aleitamento. Busque conhecimento sobre a técnica, posições para a mamada e defina pessoas para auxiliar nesse momento. O pai, avós, companheiros ou companheiras, familiares, amigos e profissionais de saúde podem ajudar em diversas situações. É importante que outras pessoas ajudem com as tarefas de organização da casa, cuidados com o bebê, preparo da alimentação, entre outros pontos. A amamentação é exclusiva da mulher, as demais atividades podem ser realizadas por pessoas de confiança da mãe, que proporcionem um ambiente tranquilo e favorável. Amamentar é um aprendizado a cada mamada, a mãe e o bebê estão se conhecendo e aprendendo juntos.

O que fazer em relação a dor durante a amamentação?

A dor durante amamentação é um dos grandes desafios. Ela pode acontecer nos primeiros dias após o nascimento do bebê, no início da mamada e desaparecer ao longo da prática da amamentação. Dor persistente, associada a algum machucado na mama, a famosa “rachadura nos mamilos”, deve ser decorrente da forma como o bebê está mamando (pega e posicionamento). Se necessário, é preciso procurar auxílio de um profissional de saúde, especialista em amamentação ou serviços de apoio a amamentação.

O que fazer em relação ao medo de não produzir leite ou ser insuficiente?

À medida que a ansiedade diminui e o bebê é posicionado com frequência, a sucção contribui para liberação de hormônios. Assim, a mama vai se modificando e a produção de leite é percebida pela mãe. O bebê ganha peso, a mãe descansa nos intervalos das mamadas, a amamentação vai se estabelecendo e o medo não prevalece.

O que fazer em relação ao medo do leite empedrar?

Posicionar o bebê com frequência para as mamadas e, ao término, examinar as mamas. Caso perceba que ainda está cheia ou endurecida, é recomendado massagear as mamas e retirar o leite por ordenha manual ou com bomba extratora para que o leite não empedre. O leite retirado poderá ser armazenado em geladeira (com validade de 12 horas), congelado (validade 15 dias) ou doado para um Banco de Leite.

Por quanto tempo a mãe deve amamentar?

O Ministério da Saúde recomenda o aleitamento exclusivo por seis meses e amamentação com a introdução de alimentação complementar até dois anos ou mais. Enquanto estiver prazeroso para mãe e o bebê, poderão prosseguir até encontrar o melhor momento para essa mudança.

E se a mãe não conseguir amamentar?

Procure orientação durante o pré-natal, grupos de apoio e profissionais especializados. Se mesmo assim não der certo, você fez o possível. Estará também praticando o amor ao seu filho. Caso seja contraindicada a amamentação por algum motivo específico, não se culpe. Seu filho será alimentado também com amor, dedicação e carinho que toda mãe oferece.

Fonte: esse post foi produzido de acordo com as informações enviadas pela assessoria de imprensa da Maternidade Pro Matre.

compartilhe!

0

comente!

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.