29 set 2015

Resolva um problema de cada vez

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Imagem: Monguilhott

Imagem: Monguilhott

No post anterior, contei como foram as primeiras semanas com a Stella. Por mais que as coisas tivessem sido diferentes, nada mudaria o fato de ser muito difícil as primeiras semanas com um bebê em casa. Antes de nascer, ao invés de passar na fila da paciência, passei repetidas vezes na fila da ansiedade. Sou ansiosa por natureza e durante as primeiras semanas com a Stella me culpei por achar que podia ter feito tudo diferente e por coisas que fiz como oferecer a chupeta achando que seria uma forma de acalmá-la.

Não tenho nada contra chupeta e acho que esse acessório pode ser um grande aliado, mas nunca gostei de criança com chupeta e sempre tive medo que tornasse um objeto indispensável, sempre pensando no futuro, o trabalho que daria para desacostumar a criança sem ela. Ofereci à Stella logo nas primeiras semanas de vida e depois descobri que o ideal é oferecer a partir da 6ª semana, pois antes disso pode confundir o bebê que está sendo amamentado no seio. Pois bem, ela aceitou mesmo só na 6ª semana. Sofri. Porque embora eu oferecesse, não fazia isso sempre, mas só em momentos em que ficava desesperada querendo acalmá-la. Parte de mim torcia para ela não aceitar.

Sofri em pensar que ela poderia ficar no colo durante todo o período de licença maternidade e sofria ainda mais pensando como seria a nossa separação quando eu voltasse ao trabalho, afinal, no berçário ninguém ficará com ela o tempo todo no colo. E sofri compartilhando cama. Sofri quando eu dormia com ela a noite toda no colo, sofri quando ela passou a dormir fora do colo, mas ainda em minha cama. O medo e ansiedade quase tomaram conta de mim. Todo meu sofrimento era por antecedência, por medo de como seria o depois.

Lembro, na época da escola, quando vinham problemas de matemática para resolver em casa. Eu lia uma questão, nem resolvia e já lia a outra e minha cabeça virava um pandemônio. Minha mãe, sempre por perto, falava: “resolva um problema de cada vez“.

Stella completou dois meses de vida ontem.  Em algum momento desse período, deixei pra lá as preocupações. Aceitei o fato dela ter pego a chupeta, coisa que ela nem gosta tanto, mas que ajuda em alguns momentos. Permaneci muitas vezes com ela no colo sem me preocupar em fazer outras coisas. E desencanei dos monstros que tentavam me atormentar. Não importa como fazemos certas coisas, tudo uma hora vai mudar. Um dia ela largará a chupeta, não desejará mais meu colo, vai largar o peito e num dia, bem distante (assim espero), ela ainda vai me responder “mãe, me deixa e paz!”. É assim a vida de mãe.

Ao desencanar dessas preocupações, as coisas por aqui ficaram mais tranquilas. Já temos uma rotina mais estruturada, Stella já dorme por períodos mais logos sozinha durante o dia, há 10 dias passou a dormir no berço durante a noite (mas ainda acorda para as mamadas noturnas), ela já não chora mais aparentemente sem motivo e eu já aprendi a interpretar suas dicas. Nós duas já estamos mais adaptadas e já nos conhecemos melhor. Acredito que tudo isso só foi possível porque me lembrei do conselho valioso da minha mãe:

Resolva um problema de cada vez!

compartilhe!

0

comente!

0 resposta para “Resolva um problema de cada vez”

  1. […] mas tente não permitir que ela se torne um acessório indispensável, use-a com moderação, resolva um problema de cada vez e seja […]

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

?