10 jun 2014

Rotina noturna familiar

por
Gabi Miranda

Bebê, Comportamento, Filhos

rotina noturna

Tenho vivido meses de luta para incluir uma rotina noturna na vida de Bejamin. Já entendi que se nossa família tem uma rotina peculiar, fica mais difícil impor horários. Por exemplo, chegamos em casa todos os dias por volta das 20:30. Não adianta querer colocar Benjamin para dormir às 21:00.

Esclarecido isso dentro de mim fiquei pensando alternativas possíveis.

Cheguei numa única conclusão: disciplina.

No entanto, é necessária força de vontade bem grande entre todos da casa para que a rotina seja estabelecida. Eu e marido trabalhamos fora. Não passamos o tempo que gostaríamos com o Benjamin. Acredito que Benjamin espera pelo momento de estarmos reunidos. Marido alega não concordar com o horário que estipulei (até 22:00 na cama), pois gostaria de passar mais tempo com o pequeno. Ok, eu também! Mas o fato do Benjamin dormir tarde é prejudicial para ele.

Benjamin acorda às 06:20, vai para a escolinha dormindo no carro (o que pra mim não é considerado um sono de qualidade), tira uma soneca de uma hora na escolinha, sai de lá às 19:00, dorme no carro (de um tempo pra cá adotei a postura de ir sentada com ele no banco traseiro com intuito de distraí-lo para ele não dormir), chega em casa às 20:30 e se deixar dorme lá pelas tantas. No meu ponto de vista, essa não é uma rotina adequada para uma criança.

Existem alternativas para qualificar o momento em que estamos com ele. Hora do banho é um momento além de relaxamento, ideal para brincar. Hora da janta é um momento de troca. Nesse meio tempo, podemos tirar meia hora para nos dedicar inteiramente a ele. Apresentar-nos disponíveis.

Mas fazer tudo isso e um pouco mais: passar tempo de qualidade com a criança, trabalhar fora, dar conta do trabalho doméstico, não há ser humano que dê conta!

Para conseguir que Benjamin durma mais cedo, temos que nos dedicar exclusivamente a ele. Chegar em casa, ir direto para o banho, fazer o trabalho doméstico na presença dele, ficar com ele no quarto até pegar no sono (afinal, ele quer a nossa presença). E, no meu caso, ainda conviver com a sensação de que estou fazendo tudo errado.

A única coisa que não vejo como errado, é o fato de querer que meu filho durma mais. E quero isso não para ter mais tempo livre sem ele, muito pelo contrário, é para que ele relaxe, descanse, tenha uma boa noite de sono e de paz, recupere as energias para enfrentar mais um dia puxado.

Só quero uma rotina noturna disciplinada. É querer demais?

Aí há duas semanas, fomos à pediatra. Como eu amo a pediatra do Benjamin! Com sua sabedoria e experiência (profissional e materna), ela simplesmente virou pra mim e disse “relaxa, deixa, ele quer curtir vocês”. Explicou-me que tanto a mudança de casa, quanto a morte da avó e até o trânsito que enfrentamos para chegar em casa, tudo implica no comportamento do Benjamin. Ele quer passar mais tempo com a gente e por isso tenta aproveitar até o último instante do dia. Chegar em casa para ele, é como começar outro período do dia – o que ele vai aproveitar com os pais.

Segundo a pediatra, é a recompensa depois de um dia longe e cheio de outras atividades. Indicou estipularmos um horário dentro das nossas possibilidades (não adianta impor algo que nem a gente consegue cumprir) e ser rigorosos com a disciplina. Ou seja, se o horário estipulado para Benjamin ir para cama foi às 23:00, nesse horário vamos levá-lo para o quarto e ali ele deve permanecer até domir. Não importa se ele não quer ir ainda, ali ele deverá ficar, seja lendo um livro, brincando com um carrinho, mas do quarto não deve sair e nós, os pais, não devemos dar brecha voltando atrás da decisão tomada – o que só prejudica na educação da criança e faz com que ela perceba que pode conseguir tudo o que quer.

Então, o que me resta é relaxar, mas ser firme na hora certa, e, aproveitar a companhia do meu pequeno que está cheio de saúde e já provou não lhe fazer falta nenhuma horinha de sono. Ele também é minha recompensa, não sei se eu saberia chegar até o final do dia sem Benjamin.

compartilhe!

1

comente!

Uma resposta para “Rotina noturna familiar”

  1. Lele disse:

    A rotina do sono é a mais difícil… aqui em casa ainda penamos… e a Isa ja tem 6 anos.
    Mas, acredito, uma hora tudo se ajeita.
    Com certeza falta do lado de ca um pouco mais de disciplina. Mas nao estamos tao preocupados com ela nesse aspecto.
    beijao
    Lele

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.