26 out 2016

Simplesmente mãe

Mãe de casal, mãe de meninas, mãe de meninos, não importa, simplesmente mãe

simplesmente mãe

Desde que Stella nasceu eu passei a expressar que era como ganhar na loteria ter um casal. Até que um dia externei isso, assim despretensiosamente, num grupo de amigas. Eu e essa minha mania de falar antes de pensar! Dizer isso me incomodou e desde então tenho pensado muito a respeito. Primeiro deixa eu explicar o que eu quero dizer com isso. Eu desejei muito ter uma menina, esse sempre foi um sonho. Stella chegou e quem nos acompanha aqui sabe que ela veio num momento da vida me trazendo muitos significados. A euforia e felicidade foram tão grandes que até hoje não encontrei palavras para definir meu sentimento, então passei a  usar essa referência, ter um casal é como ganhar na loteria. Que porcaria de definição!

Dia desses, minha prima, mãe já de um menino, deu à luz a uma menina e eu soltei outra das minhas pérolas. “Bem-vinda ao mundo cor de rosa”. E saí da maternidade com a frase ecoando na minha cabeça. O que eu quis dizer com aquilo? Obviamente, era algo como bem-vinda ao mundo dos flus flus. Não adianta fugir, existem algumas diferenças entre meninos e meninas. A minha menina eu encho de laços, enquanto meu menino é super básico com suas camisetas de super heróis. No entanto, ela já brinca com os carrinhos dele. Ele adorou quando a irmã ganhou uma boneca que já fez parte de suas brincadeiras com seus bonecos heróis.

Eu que tenho alguns princípios, como não chamar Stella de princesa, e chamar o Benjamin de príncipe; não fazer diferença de brinquedos de menino e menina, já havia reparado que eu mesma me rotulava como mãe de casal. Definir-me como mãe de casal passou a soar como rotular o rosa e o azul.

Leia também: entre rosa e o azul

De certa forma, inconscientemente, me diferenciava de outras mães. Isso passou a me inquietar e passei a me definir como mãe de dois. Ser mãe de um casal não quer dizer nada, não me faz melhor que ninguém, não diferencia a minha maternagem da mãe de dois meninos ou duas meninas. Afinal, estamos todos aqui para educar seres melhores para esse mundo, independente de gêneros. O sonho de ter uma menina era meu. Conheço mães com o sonho de ter dois meninos ou duas meninas. Melhor ainda, conheço mãe de três meninas, mãe de três meninos, mãe de um menino e uma menina. E o que nos difere umas das outras? Nada! Todas temos algo em comum: a felicidade de ter alguém para chamar de filho, de ser simplesmente mãe. 😉

 

compartilhe!

2

comente!

2 respostas para “Simplesmente mãe”

  1. […] Reflexões de uma mãe de casal e as questões de gênero. […]

  2. Entendo tua reflexão, Gabi. Mãe é mãe e ponto.
    Mas nessa questão de diferença de gêneros, penso assim: a diferença existe e acho imprudente negá-la. Meninos têm pênis e meninas tem vagina. A higiene, na troca de fraldas, por exemplo, é diferente sim, por conta de um ser menino e outra ser menina.
    Agora, isso não pode levar a escolhas determinadas pelo gênero. Meu filho usa rosa e brinca com as princesas da prima. Mas continuo sendo “mãe de menino” e não vejo problema algum em me rotular assim.

    • https://bossamae.com.br/novo/wp-content/themes/bossa-mae/img/img-coment.png Gabi Miranda disse:

      Sem dúvida, Tá! E isso daria outo post. Claro que tem uma diferença enorme. E querendo ou não, é impossível criar tudo igual. Os valores de vida, o conceito, a educação ok.
      Aqui eu só estava querendo externar algo de uma situação que eu acho que me coloquei de forma errada e ainda não sei me expressar bem a respeito. ahahaha
      Mas esse post foi uma tentativa. rs

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.