06 set 2018

Mavsa Resort: viajar com uma amiga faz bem à alma

por
Gabi Miranda

Destaque, Maternidade, Viagem

Taí uma coisa que me faz bem: cuidar das amizades. E depois que casei e virei mãe, nunca mais tinha viajado com uma amiga. Eis que no último final de semana, eu e a Mari fomos para o Mavsa Resort. Numa viagem curtinha, mas suficiente para restabelecer nosso equilíbrio, bem estar e fortalecer ainda mais a nossa amizade.

O Mavsa Resort fica em Cesário Lange, interior de São Paulo, a apenas 2 horinhas. Rodeado pela natureza, é um lugar ideal para recarregar as energias. Oferece uma estrutura completa para adultos e crianças. Ou seja, é muito indicado para ir em família. Mas nós fomos sem filhos, sem marido. E posso dizer que é ótimo também! Oferece um sistema all-inclusive o que permite aos hóspedes ficarem à vontade no resort. E no caso do Mavsa, quando falamos all-inclusive, é ALL-INCLUSIVE mesmo(!!!), até bebidas alcoólicas.

Eu e Mari chegamos no meio da tarde da sexta e saímos no domingo após o almoço. Foi MARAVILHOSO! Ao chegarmos, fomos surpreendidas pela hospedagem. Colocaram-nos num dos chalés temáticos master: o Datcha e Royale – coisa mais delícia e aconchegante. Um chalé com 150m², varanda, sala, 2 camas Queen Size, banheiro, ducha, ar condicionado, TV, frigobar e… piscina privativa!!!!
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

03 fev 2012

Mães precisam de amigas mães

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Você está se torturando pensando em como é uma péssima mãe e de repente uma amiga do peito te fala “nossa Gabi, nem parece a pessoa que comentou ontem no facebook sobre a capa da revista Crescer”. A revista traz esse mês um menino lindo com o texto AUTOCONFIANÇA. Achei tudo a ver, pois a imagem captada do menino demonstra isso mesmo: belezinha de menino autoconfiante!

Imagino que é mais ou menos assim: Filhos confiantes = mães autoconfiantes. Mas nem sempre a mãe é tão autoconfiante quanto parece ser. Eu pareço muito mais do que sou. Ontem fui levar o pequeno Ben ao berçário, estava de boa, cantando, quando ao chegar em frente a escolinha comecei a chorar. Entreguei meu filho – que sorria – chorando para a tia da escola que tratou de pegá-lo rapidinho do meu colo. Não entendi nada do meu choro. Estou mais vulnerável.

Pensei em ligar para o marido. Sem desmerecê-lo, acho que os pais não entendem tanto esses sentimentos contraditórios que invadem nossos corações de mãe. Porque só quem é mãe entende outra mãe. Então enviei mensagem para a minha mega master amiga Dani-mãe-já-de-dois. Por que eu chorei? Porque o Ben é o meu bem mais precioso, porque tenho medo de perdê-lo, porque agora tenho um medo estúpido de morrer, porque depois do Ben a vida se tornou mais linda, e meus medos maiores ainda, porque hoje eu queria ter ficado com ele, porque ele está com sapinho, porque esse amor de mãe chega a doer. Clique e continue lendo!

compartilhe!

4

comente!