13 jul 2015

Bolsa maternidade para o pai

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

Bolsa maternidade para o pai também é necessário, veja os itens que não podem faltar

bolsa maternidade para o pai

Imagem Google

Ouve-se muito falar em bolsa maternidade para o bebê e para mãe, mas e o  pai? Será que também não é necessário uma bolsa maternidade para o pai?

Quando corremos para maternidade, na gestação do Benjamin, saímos levando apenas a mala do bebê e a minha que já estava no porta malas há alguns dias, mas não imaginávamos que ele nasceria naquela quinta-feira ensolarada. Lembro-me até hoje que estávamos subindo a rua prestes a pegar a avenida, quando marido deu meia volta com o carro porque tinha esquecido a câmera fotográfica e, segundo ele, “vai que nasce…”.

Passamos o dia todo no hospital realizando exames, para no final do dia recebermos a notícia de que seríamos transferidos de maternidade e que Benjamin teria que nascer. Embora estivéssemos com as malas da mãe e do bebê, faltavam várias coisinhas como porta-maternidade, lembrancinhas e nem lembro mais o que… Ah, o marido não tinha nada! Pais de primeira viagem, nem passou pela nossa cabeça em montar uma mala pra ele também. Na verdade, nem pensamos como seria a logística: ele dormiria comigo na maternidade ou seria minha mãe? Ele dormiu comigo e obviamente, no dia seguinte ao nascimento do Ben, teve que providenciar itens básicos de higiene pra ele, logo depois foi em casa resgatar roupas.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

16 abr 2015

26 semanas de gestação e a organização dos sentimentos

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

Estamos com 26 semanas!

26 semanas

Outro dia uma amiga que ainda nem é mãe cobrou de mim “está na hora de atualizar o blog, contar mais sobre esse novo bebê”. Não é só ela que cobra. Outras amigas e leitores também cobram. Eu também me cobro. Mas eu estava sentindo certa dificuldade para estabelecer uma conexão com esse meu estado interessante, o que mexia com meu estado emocional. Esse bebê, assim como Benjamin (e quase tudo na minha vida) foram planejados. No entanto, as duas gestações me pegaram não de surpresa, mas de supetão. A primeira, prevista para 6 meses após parar os métodos conceptivos, chegou no primeiro mês. A segunda, chegou no terceiro mês de tentativa, mas quando eu já estava pensando em desencanar um pouco e focar em uma viagem de férias dessas com duração de 30 dias.

Em ambas, passei muito mal no início. Dessa segunda vez acho até que foi pior e atribuo ao meu estado de saúde e físico, o abalo no estado emocional. Entre idas e vindas ao pronto-socorro, também fiquei de licença médica por quase 15 dias, o que me afastou do trabalho e me deixou isolada em casa, sozinha. Tudo isso mexeu muito com meu emocional. Eu pensava muito em como seria a gravidez, ter dois filhos, pensava na possibilidade de passar mal a gestação inteira (porque a gente acha que não vai passar nunca aquilo tudo, que os hormônios não vão se estabilizar), e, principalmente, sentia muita falta da minha mãe não estar por perto me apoiando, me acompanhando no hospital, segurando a minha mão e sofria ao pensar que ela também não estaria por perto após o nascimento do bebê.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

23 fev 2015

Qual é o sexo do bebê?

por
Gabi Miranda

Bebê, Filhos, Gravidez, Maternidade

“Saber de antemão o sexo do filho é como espiar Deus pelo buraco da fechadura”

Impressionante mas a pergunta que grávida mais ouve é “qual é o sexo do bebê?”, posteriormente a resposta vem “mas você quer o quê?”, em seguida “mas você sente alguma coisa, tem pressentimento se é menino ou menina?”.

sexo do bebê

No texto “A cor do destino”, do livro “Coração de pai – Histórias sobre a arte de criar filhos”, o autor José Ruy Gandra conta que não soube o sexo de nenhum de seus dois filhos. Pedi permissão a ele para postar trechos que explicam seu motivo:

“…É algo como espiar Deus pelo buraquinho da fechadura. Ou abrir um presente antes da hora. Um gesto que priva pais e mães da mais comovente surpresa que toda gravidez reserva. Saber, num único e mágico instante, se seu filho é um menino ou uma menina – e qual, afinal, é a carinha desse sonho que, por nove longos meses, você acalentou em duas versões.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

08 mar 2012

Ninguém segura esse bebê

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Hoje foi um dia especial.

Já faz quase um mês que Benjamin ensaia engatinhar. Um mês que ele fica na posição balançado pra frente e pra trás. Há um mês quando ele começou esse ensaio, pensei: “nossa, daqui uma semana ele estará engatinhando!” Tudo é tão rápido que até faz a gente perder noção. Faz uma semana, por exemplo, que ele começou a levantar sozinho. Um dia ele levantou e acho que nem se deu conta do que fez. Ficou dois dias sem levantar e quando fez novamente não parou mais. Faz com a maior naturalidade.

Hoje o carro resolveu nos deixar na mão e não conseguimos levar o Ben para o berçário. Ele ficou aqui em casa com a avó. Estava a caminho de casa quando liguei pra minha mãe:

– Não deixa Benjamin sozinho na cama.

– Ah, eu sei, eu vi que ele está engatinhando.

– O que você disse, mãe?

– Ele está engatinhando! Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

15 fev 2012

De malas prontas

por
Gabi Miranda

Maternidade, Viagem

Vamos para a cidade maravilhosa no carnaval. Estou ansiosa por essa viagem como criança que espera a noite de Natal ou o aniversário para ver se vai ganhar aquele presente mega esperado. Rio de Janeiro deveria ser minha cidade natal. Simplesmente amo aquele lugar! Meu pai mora lá, então surge um feriado prolongado, vamos pro Rio! E carnaval…sempre foi no Rio! Antes com as amigas, depois com o marido e agora com meu Ben(zinho)! Minha ansiedade se deve porque é: o primeiro carnaval com o Ben, primeiro verão, primeiro transitão, primeira confusão, primeiro feriadão com boa parte da família reunida, todos em clima de festão, alegria, praia, música! Estou ansiosa por levar o Ben para passar alguns dias com o avô, tias, tio, primos e tia avó. Eu valorizo demais o relacionamento familiar. Acho família essencial para o nosso desenvolvimento emocional, nosso caráter, nossa memória afetiva. Fora que o Ben está todo gostoso, interagindo com todo mundo, mais risonho do que nunca e me agrada o fato de poder compartilhar esse momento com os familiares. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!