11 jan 2016

Feliz nova escola

por
Gabi Miranda

Desenvolvimento, Educação, Filhos

Ilustração de Andry Rajoelina

Ilustração de Andry Rajoelina

O ano novo começou com grandes mudanças também para o nosso pequeno-grande Benjamin. 2016 além de ser o ano em que ele completará 5 anos, meu Ben está indo para o Pré e para uma escola nova. Desde que tomamos a decisão em mudá-lo de escola, Benjamin participou de todo o processo, inclusive foi conosco conhecer a escola e desde que fizemos a matrícula venho conversando com ele. Numa dessas conversas ele me surpreendeu ao me fazer uma pergunta num tom também afirmativo “mãe, na escola nova vou fazer muitos amigos novos, né?”.

Eu arriscaria dizer que meu filho tem uma vida curta, porém intensa. Sem contar e minimizar as mudanças de desenvolvimento. Desde os dois anos e meio, Benjamin vive grandes mudanças com tão pouca idade. Primeiro veio a morte da sua avó materna, e, embora talvez ele não tivesse consciência plena daquela perda, ele sentiu ao me ver triste. Nunca vou esquecer um episódio no qual estávamos só nós dois em casa, um dia após o enterro, quando ele tão pitico me trouxe sua garrafinha de água, um potinho com balinhas m&ms e me disse naquele parafraseado baby “toma mamãe, tem que comer e beber”. A segunda mudança foi deixar de ser filho único para se tornar o irmão mais velho – papel do qual ele se orgulha em desempenhar e nitidamente o deixa feliz.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

04 jan 2016

Ajuste seus objetivos e metas para 2016

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

METAS

Se você ainda não fez, ainda dá tempo de ajustar seus objetivos e metas para o ano que acaba de começar. Muitas pessoas acreditam que metas e objetivos são a mesma coisa, no entanto existe diferença entre eles:

Objetivo é o que você quer conquistar, atingir. Exemplo: trocar de carro, realizar uma viagem, mudar de emprego, casar, ter filho, etc.

Meta é pensar no tempo e nos meios que o farão conquistar determinado objetivo. Ou seja, é preciso traçar um plano: preciso tomar 2L de água por dia, vou colocar uma garrafa de 2L na minha mesa do trabalho, tomar metade dela até a hora do almoço, a outra metade até o fim do expediente. Outro exemplo: durante 12 meses, economizarei um valor mensal estipulado para daqui a um ano fazer a viagem dos meus sonhos.

Embora não sejam a mesma coisa, objetivos e metas andam lado a lado. E para conquistar nossos objetivos e metas, é preciso ter foco. Eu costumo listar todos os meus objetivos e repassá-los constantemente para ver se estão seguindo o caminho certo para atingi-los. Minha lista é dividida em categorias:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

17 nov 2015

Pesquisa revela: filhos sentem-se trocados por smartphones

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

Semana passada escrevi sobre o comportamento do Benjamin em chamar a nossa atenção a todo instante para ver o que ele está fazendo. Vira e mexe é um tal de “mãe, olha o que sei fazer“. Daí que recentemente, uma pesquisa da AVG Technologies, empresa líder de segurança on-line, revelou que os filhos sentem-se trocados por smartphones.

mãe-e-celular

Quero ressaltar alguns dados da pesquisa que me soaram assustadores, confira:

  • 71% dos pais acreditam checar demais seu smartphone  (87% dos filhos concordam);
  • 58% acreditam que seus filhos passam mais tempo no celular do que eles (65% dos filhos concordam
  • 29% afirmam não dar um bom exemplo em relação ao uso de dispositivos móveis (24% das crianças concordam)

Piores Hábitos

  • Se distrair enquanto conversam com os filhos – 65% (50% das crianças concordam que seus pais fazem isso);
  • Usam o smartphone ou tablet durante o jantar – 48% (28% das crianças concordam);
  • Usam o smartphone enquanto brincam com os filhos – 29% (33% das crianças concordam);
  • Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

16 nov 2015

Os segredos de uma encantadora de bebês

por
Gabi Miranda

Destaque, Livros, Puericultura

Li a primeira vez “Os segredos de uma encantadora de bebês – como ter uma relação tranquila e saudável com seu bebê” logo quando Benjamin nasceu. E li novamente agora com o nascimento da Stella. Impressionante como a gente esquece as primeiras semanas com o bebê, assim como esquecemos algumas leituras que fazemos. Esse livro é cheio de boas dicas que podem ser aplicadas no dia a dia. Claro, é aquela velha história, nem tudo que tem num livro tem cabimento e nem sempre cabe para todas as famílias e bebês, mas sempre dá pra tirar algum proveito, ainda mais dos segredos da encantadora de bebês.

encantadora de bbs

No início da obra tem um teste “conheça seu bebê”. São 20 questões a respeito do bebê e para cada uma o leitor escolhe a melhor resposta que descreve o comportamento do seu filho na maior parte do tempo. Foi uma surpresa descobrir marcações que tinha feito na época em que li, há pouco mais de 4 anos. O resultado sobre Benjamin era um empate entre bebê anjo e bebê livro-texto. Refiz o teste avaliando a Stella e por estar com ela no colo acabei não fazendo as contas para ter o resultado. Já sabia que daria algo como bebê sensível, desencanei e decidi ler o livro novamente sem saber a resposta.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

13 nov 2015

Site Começar Saudável – conteúdo e interatividade no mesmo canal

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

Sabemos que vida de mãe é maravilhosa e também exaustiva.  Às vezes estamos muito cansadas e impacientes, mas basta ler um depoimento motivador para nos lembrarmos de que tudo não passa de uma fase. Por isso, tenho uma lista de sites maternos nos quais entro toda semana, religiosamente, para me informar, ver novidades, pesquisar sobre algum determinado assunto e até me inspirar para colocar em prática no meu dia a dia de mãe. O site Começar Saudável está no topo da minha lista, um espaço com conteúdo relevante e interatividade.

Comecei no Começar Saudável de fininho, lendo as histórias compartilhadas no blog Vida de Mãe. Um espaço produzido por mães e pais como eu e você, com suas dúvidas, aprendizados, experiências. É possível encontrar depoimentos saudosos das lembranças de infância e como essas memórias influenciam sua maternagem hoje, além de dicas interessantes sobre rotina do sono, volta às aulas, como lidar com ciúmes do filho com a chegada do bebê, férias, pós-parto, entre outros assuntos. O que gosto nele é que são textos curtinhos e objetivos, o que para mim é ótimo, pois facilita a leitura nessa vida corrida.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

12 nov 2015

Birra e os momentos que ninguém vê

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade

Imagem Google

Imagem Google

Sexta-feira passada comecei o dia bem. Acordei ao lado dos meus dois filhos amados, até postei uma foto nas redes sociais dizendo o quanto Benjamin é fofo com a irmã, o quanto é bacana ver a relação deles se construindo. Levantamos, preparei o café da manhã, tomamos, ajeitei as coisas e fui me arrumar. Benjamin sempre prestativo disse que ficaria brincando com a Stellinda. Era dia de pediatra e quando estava perto de sairmos, começou um daqueles momentos que ninguém vê. Benjamin começou fazer a maior birra dos últimos tempos. Benjamin é uma criança de ouro, muito comportada, boazinha, educada, mas ele tem tido momentos de birras. Ele nunca fez birra em público (meu maior pavor) e a birra aqui não é algo constante, no entanto, quando acontece dura um tempo interminável e nunca acaba como eu gostaria.

Geralmente, começam do nada e mesmo que eu o alerte sobre seu comportamento, ele continua. Não foi diferente na última sexta. Falei e respirei fundo uma, duas, três, quatro, cinco vezes e nada dele parar. Ele começou a gritar e eu perdi a paciência. Pareço boa mãe, mas fiz uma ameça horrível: “Benjamin, o prédio inteiro está ouvindo você gritar desse jeito, vão chamar a polícia pra mamãe. Quer que eu seja presa?!”. Obviamente ele disse que não, mas esse aviso não foi suficiente para ele parar. Pela primeira vez na vida, senti vontade de dar umas boas palmadas no Benjamin, mas eu continuava a respirava fundo. Stella só olhava atenta a tudo. Chegamos no carro e Benjamin continuava chorando e gritando. Foi terrível. Fiquei tão nervosa que mal conseguia dirigir. E nesse meio-tempo já havia dado a sentença a ele: sem televisão o final de semana inteiro, de sexta a domingo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

11 nov 2015

Mãe, olha o que sei fazer

por
Gabi Miranda

Comportamento, Filhos

olha o que sei fazer

Benjamin fica a todo instante querendo mostrar suas habilidades físicas, artísticas, faceiras e até bagunceiras. Coisas muitas vezes simples, bem de criança pedindo atenção. Ele repete várias vezes ao dia “mãe, olha o que sei fazer”. Aí dia desses li em algum lugar que não lembro mais aonde sobre essa necessidade que os filhos tem em querer nos mostrar a todo instante o que sabem fazer. E a culpa – sim ela sempre existe e nesse caso com razão – é da mamãe e do papai. Ok, essa sociedade consumista e que nos cobra o tempo todo estarmos antenados também tem sua parcela de culpa.

As crianças não querem sair do vídeo-game, do iPad, do celular, de frente da televisão. E isso é reflexo dos nossos comportamentos, afinal ficamos também o tempo todo no celular, no iPad, computador, televisão. E as crianças estão atrás de nós implorando para que olhemos o pulo que ela sabe dar, a careta que sabe fazer, o desenho que acabou de pintar. Nossos filhos querem ser observados por nós.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

10 nov 2015

Maternidade contribui para o desempenho profissional da mulher

por
Gabi Miranda

Destaque, Maternidade, Trabalho

Imagem Google

Imagem Google

Que a maternidade transforma a vida, não é nenhuma novidade. Mas ela também aumenta o desempenho das mulheres em vários setores, inclusive o profissional. Uma pesquisa, realizada há algum tempo, pela Microsoft, com 2.000 funcionárias e 500 empregadores, afirma que a maternidade contribui para o desempenho profissional da mulher, que a performance das mulheres muda (para melhor) após o nascimento dos filhos. Segundo a pesquisa:

  • 62% das mulheres afirmam ter se tornado melhores na realização de multitarefas
  • 46% disseram sentir melhoras na gestão do tempo
  • 34% comentaram sobre o aumento das relações cordiais com os colegas de trabalho
  • 27% se tornam mais organizadas
  • 57% dos empregadores concordaram que mulheres com filhos trabalham melhor em equipe dos que aquelas que ainda não são mães.

Não sou nenhuma especialista no assunto comportamental, mas segundo a minha experiência materna, imagino o motivo de tanta mudança. Sobre o aumento da gentileza nas relações, acho que tem a ver com o nosso desejo em querer um mundo melhor para nossos filhos, portanto começamos a mudança dentro de nós, gerando gentileza. Tratamos melhor as pessoas para que se torne uma corrente do bem. E acho que tem uma questão de espírito e alma leves, a maternidade nos faz tão felizes que acaba espelhando em nosso modo de agir com o mundo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

09 nov 2015

Levante por mulheres grávidas

por
Gabi Miranda

Destaque, Gravidez, Maternidade

Não tem jeito, parece algo cultural (e mundial), enraizado no ser humano sem noção, mas é algo costumeiro ver grávidas e idosos em pé no transporte público. Mesmo tendo cadeiras reservadas para esse grupo. É difícil encontrar um ser que se levante por mulheres grávidas. As pessoas fingem que não veem, fingem que estão dormindo. É verdade! Eu já me deparei com isso na gestação do Benjamin. Na gravidez da Stella não me lembro de ter andado de metrô ou ônibus, mas senti o desrespeito nas filas em lugares públicos. As pessoas simplesmente não dão lugar e ainda acham ruim quando você (ou algum cidadão do bem) faz prevalecer o seu direito.

Definitivamente, acho que esse é o tipo de coisa que não devia precisar de avisos, mas é sempre bom alertar. E foi pensando nas grávidas que os chineses lançaram uma campanha pra lá de criativa “Stand Up For Pregnant Women” (Levante por mulheres grávidas). Com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância do respeito para aqueles que precisam. Principalmente as grávidas, os cartazes são ilustrados com desenhos geniais, além de muito meigos.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

26 out 2015

10 Dicas do que fazer enquanto espera o bebê nascer

por
Gabi Miranda

Destaque, Gravidez, Maternidade

Seu médico te afastou do trabalho e agora você está em casa só esperando o bebê resolver nascer. As malas já estão prontas, a casa está em ordem, você está sozinha em casa e não sabe muito o que fazer?! Anote essas 10 dicas do que fazer enquanto espera o bebê nascer

Dica 1: Coloque um hobby em prática

Imagem Google

Imagem Google

Deve ter alguma coisa que você gosta de fazer. Eu adoro scrapbook. Então aproveitei para fazer alguns projetos e relaxar. Pinte, borde, costure.

Dica 2: Blog

Imagem do Google

Imagem do Google

Se você tem um blog aproveite para escrever e deixar algumas coisas no gatilho para o período após o nascimento do bebê, pois com certeza não será possível atualizar diariamente.

Dica 3: Livros e revistas

Imagem do Google

Imagem do Google

Coloque a leitura em dia. Ler também ajuda a distrair e deixar a espera menos angustiante.

Dica 4: Filmes

Imagem do Google

Imagem do Google


Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!