23 jan 2019

Cultive emoções positivas

Pare e pense. Você cultiva emoções positivas?

Nem sempre soube lidar com todas as minhas emoções. Mas tento sempre cultivar emoções positivas. Quanto mais a gente se conhece, mais aprendemos a lidar com os nossos sentimentos.

O fato é que por vezes, compreender nossos sentimentos é um trabalho confuso e difícil. Mas com a prática pode se tornar algo muito produtivo. Não podemos esquecer que somos indivíduos com físico e emocional, portanto é preciso que haja um equilíbrio entre amos. E quando temos filhos, precisamos de atenção e equilíbrio redobrados.

Leia também: hábitos que mudarão sua vida em 2019

O primeiro contato com as emoções é feito com ainda estamos no útero. Por isso, quem já passou pela gravidez, ouve muito “não fique triste, pois você passa esse sentimento para o bebê”. Sim, as emoções da mãe são sentidas pelo bebê. Dizem ainda que as experiências intrauterinas, somada aos acontecimentos vivenciados ao longo dos primeiros 7 anos da criança, são responsáveis por desenvolver os programas emocionais de cada pessoa. E são elas que criarão os padrões comportamentais e emocionais que influenciarão toda a vida dos nossos filhos. Sim, nossa responsabilidade é enorme!
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

14 jan 2019

Hábitos que mudarão sua vida em 2019

por
Gabi Miranda

Destaque, Maternidade, Produtividade

Muitas pessoas tem me perguntado como é minha rotina matinal, o que mudou na minha vida após ter parado de trabalhar fora. Nesse post, vou falar sobre os hábitos que mudarão sua vida em 2019! Se você quiser isso, claro!

Somos responsáveis pelos nossos hábitos. Adoro esse aprendizado que tirei do livro “O poder do Hábito“. Isso quer dizer que pequenas ações podem ter um efeito significativo em nossa vida, mas precisamos querer mudar. Por isso, hoje vou falar de alguns hábitos que comecei a implementar em 2018 e fazem total diferença na minha vida.

Leia também: somos resultados de nossos hábitos

Não tem fórmula mágica para mudar rapidamente um hábito. O que vou falar aqui, não quer dizer que comecei os hábitos num dia e foi tudo maravilhosamente bem. Não é nada fácil mudar um hábito rapidamente ou incluir um novo. Somos todos diferentes, assim como os nossos hábitos. Ou seja, eu sou de uma maneira, você de outra e temos hábitos distintos também. Por isso, mudar os padrões em nossas vidas diferem de uma pessoa para a outra e de um comportamento para o outro.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

09 jan 2019

Minhas metas e objetivos 2019

O nome desse post é minhas metas e objetivos 2019, pois são duas coisas diferentes, porém complementares. Vamos à explicação:

Objetivo é o que você quer conquistar, atingir. Exemplo: trocar de carro, realizar uma viagem, mudar de emprego, casar, ter filho, etc.

Meta é pensar no tempo e nos meios que o farão conquistar determinado objetivo. Ou seja, é preciso traçar um plano: preciso tomar 2L de água por dia, vou colocar uma garrafa de 2L na minha mesa do trabalho, tomar metade dela até a hora do almoço, a outra metade até o fim do expediente. Outro exemplo: durante 12 meses, economizarei um valor mensal estipulado para daqui a um ano fazer a viagem dos meus sonhos.

Leita também: ajuste seus objetivos e metas

metas e objetivos 2019

Ou seja, metas e objetivos caminham lado a lado. E eu tenho alguns para 2019. Inclusive, dois deles estavam na minha lista de 2018. Esse é outro ponto a se falar, não podemos exagerar ao estabelecer metas e objetivos. Porque acho que temos a mania de começar o ano com muitos planos, mas terminamos com pouco resultado. Normal! E acho bacana a cada três meses reavaliar tudo, ver o que está dando certo, o que está parado, o que precisa ser renovado.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

19 dez 2018

Somos resultados de nossos hábitos (uma retrospectiva 2018 e metas 2019)

por
Gabi Miranda

Autoconhecimento, Destaque

nossa vida é resultado de hábitos

Falta pouco mais de 10 dias para o ano acabar e tenho refletido muito sobre 2018. Semana passada participei de uma palestra da Ana Raia “Retrospectiva 2018 e metas 2019” que só mexeu ainda mais com meus pensamentos. Ana começou sua palestra jogando para o público as seguintes perguntas: por que você está aqui? Qual é a sua intenção? Como você acorda? Quando você acorda você pensa: “hoje meu dia será assim…” (complete a frase). E afirmou: “somos resultados de nossos hábitos! A vida começa sendo líder de você mesmo!”

Foi maravilhoso estar ali e ouvir tudo o que ouvi. Era como se eu estivesse no lugar certo, na hora certa. Ana Raia não falou uma única palavra em que não acredito. Mas é ótimo poder ouvir de fora de vez em quando. É combustível para minha alma. Até porque como qualquer ser humano, sou passível de emoções positivas e negativas.

Refletir positivamente sobre o ano que passou ou o ano que está por vir, é um exercício e tanto! Há coisas que não consegui fazer em 2018. A maior meta que me coloquei não consegui atingir. Falta total de foco porque eu estava voltada para outra coisa também importante, no caso a Mirtilo. Pensar no que não fiz, claro, causa um certo desconforto. Mas e o tanto de coisas que realizei?

Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

14 dez 2018

Tal Ben-Shahar – o que aprendi com o “Doutor da Felicidade”

por
Gabi Miranda

Coach de Vida, Colunas

 

Em setembro passado estive na palestra do Dr. Tal Ben-Shahar, professor de Psicologia Positiva na Harvard University, com mais de 1.000 alunos inscritos em 2017. Assisti a vários vídeos e publicações dele ao longo dos anos. Mas nada se compara a vê-lo, ao vivo, compartilhando os seus conceitos e interagindo com a platéia.

Uma das primeiras coisas que ele falou quando começou a explicar o que afeta a felicidade é a falta de compreensão das pessoas sobre sentimentos como tristeza, raiva, ansiedade e por elas quererem evitá-los. Estes sentimentos fazem parte da vida e só não sentem essas emoções pessoas mortas e psicopatas!

“Felicidade não significa estar sorrindo o tempo todo”, afirmou.

Lutar contra esses sentimentos buscando momentos de felicidade permanentes é uma batalha perdida.

Então, a partir do momento que aceitamos que somos humanos, passamos a viver melhor! E entender que vamos nos frustrar e sentir emoções que tentamos evitar por medo da experiência. Segundo Tal Ben-Shahar, isso não significa que estamos nos resignando. Mas sim que estamos no modo de aceitação ativa ou aceitando a nossa humanidade.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

17 set 2018

Ser demitida foi a melhor coisa que me aconteceu em 2017

por
Gabi Miranda

Destaque, Maternidade, Trabalho

No dia 15 de setembro de 2017, fui demitida da empresa para qual trabalhei há mais de 8 anos. Na época, meu marido também estava desempregado, meu atual chefe sabia e me demitiu alegando corte da maior despesa da área. Não vou mentir. Apesar de ter desejado muito ser demitida, naquele momento, eu fiquei puta da vida. Não fiz tentativa nenhuma para ser forte. Chorei. Desabei. Fui tomada por muitos sentimentos. Contraditórios até. Era uma sexta-feira. E me dei o direito de sentir todos os sentimentos ruins naquele final de semana. Eu ainda não tinha certeza que ser demitida seria a melhor coisa que podia me acontecer.

ser demitida foi a melhor coisa

Na segunda-feira, acordei e decidi virar a página. Enfim, comecei a pensar em todas as possibilidades que estavam à minha frente. Antes de qualquer decisão, a primeira coisa que fiz, foi aproveitar as minhas férias na Itália com a minha família. E fui feliz em ver quantas coisas fascinantes o mundo oferece.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

6

comente!

10 set 2018

Como ensinar a criança a fazer xixi no banheiro

por
Gabi Miranda

Desenvolvimento, Destaque, Filhos

fazer xixi no banheiro

Estamos vivendo aqui o desafio de ensinar uma criança a fazer xixi no banheiro. Explico! Há um ano desfraldamos a Stella e foi um desfralde muito respeitoso e tranquilo. Ela estava com 2 anos e 2 meses, mas há alguns meses dava indícios de que estava pronta. A escola já havia tentado nos convencer disso, mas eu fui um pouco relutante. confesso. Recebemos dois avisos da escola e só no segundo eu respondi que Stella podia estar preparada, mas eu não. Sim, tem isso também, né? A família toda tem que estar pronta para o desfralde, principalmente a mãe.

Enfim, quando decidimos fazer o desfralde foi tudo rápido e tranquilo. Exceto quando viajávamos porque a Stella saia da sua rotina e preferia sempre fazer em seu penico. Ah, o penico! Nosso aliado na hora do desfralde. Mas chega uma hora que já deu, né? Aqui, porque não temos muito espaço nos banheiros, o penico acaba ficando num cantinho da sala, próximo a porta do banheiro. E isso já tem me incomodado. E lugar de fazer xixi (e coco!) é no banheiro.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

21 ago 2018

Desafio Criativo

desafio criativo

Há 30 dias comecei o Desafio Criativo Carinhas. A proposta é um mês com uma tarefa por dia para estimular a criatividade. E eu diria que o autoconhecimento também.

Bom, comecei meu desafio criativo dia 15 de julho e terminei recentemente. Teve furo no meio do caminho, dias que pulei e consegui correr atrás do tempo perdido. Mas a ideia é realizar o desafio diariamente. E teve o último desafio. Que era criar um texto contando sobre a experiência desses últimos 30 dias de desafio: o que senti, como eu fiz para perseverar e não desistir, como foi a experiência no geral.

Primeiro vale dizer que eu nunca me achei uma pessoa tão criativa. E marido sempre diz que todo mundo é criativo. Outro dia, recebi uma explicação ainda melhor sobre isso. 1. Todo mundo é criativo. 2. A criatividade se revela de forma diferente para cada pessoa. 3. Criatividade é algo que pode ser ensinado e desenvolvido. 4. Mas para a criatividade ser desenvolvida precisa de oportunidade. Ou seja, se as pessoas são expostas a oportunidades que estimulem a criatividade.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

10 ago 2018

Paixão pelo trabalho

por
Gabi Miranda

Coach de Vida, Colunas, Destaque

Lembro que em uma das empresas onde trabalhei se falava muito em descobrir a paixão pelo trabalho. A paixão para trabalhar naquilo que realmente gostamos. Que se não estávamos apaixonados pelo que fazíamos não seríamos bons profissionais. Eu ouvia de forma cética porque não sentia essa paixão toda (pelo menos a que eu imaginava que precisava sentir) naquilo que fazia. Apesar de gostar muito do meu dia a dia, aprender constantemente, ter desafios intelectuais e conviver com um time de profissionais excelentes. E também não tinha nenhuma outra paixão escondida que eu estivesse “abafando”, então essa história de paixão me assombrava. Sempre que se falava no assunto eu pensava: pronto, vão descobrir que eu não tenho sou apaixonada pelo meu trabalho!

paixão

O tempo foi passando e me dei conta de que talvez a palavra que eu usaria fosse outra, e não “paixão”. Vocês devem estar pensando: mas qual palavra você usaria? Já vou contar…
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

20 jul 2018

Uma das minhas histórias de vida

por
Gabi Miranda

Coach de Vida, Colunas, Destaque

uma das minhas histórias de vida

Houve momentos na minha vida que senti que as coisas fugiam ao meu controle. E hoje vou contar uma das minhas histórias de vida.

Como executiva mentalmente “formatada” para ter tudo planejado, controlado e dando resultados, me deparei em 2016 com a notícia de que tinha um melanoma (câncer de pele metastático). Absorvi a informação de forma muito equilibrada, segui os passos recomendados pela dermatologista e cirurgião oncológico (meus anjos da guarda!) e agendei a primeira cirurgia para 10 dias após o diagnóstico. Praticidade ao máximo! Se tenho que resolver, vamos lá.

Leia também: equilíbrio na vida

Até o pós-operatório tudo estava sob controle. No entanto, a surpresa veio quando, na biópsia que fizeram dos linfonodos (gânglios) da axila, o resultado foi positivo. Ou seja, o melanoma do braço havia passado para os linfonodos e seria necessário fazer uma nova cirurgia para retirá-los. Nesse momento, senti que “as coisas fugiam ao meu controle”. Mistura de medo, susto, “alguém me ajuda, o que mais pode vir”? Sabe quando falam em vulnerabilidade? Pois é, isso mesmo. Sentimento de “perdi o controle da minha vida”.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!