04 jan 2016

Ajuste seus objetivos e metas para 2016

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

METAS

Se você ainda não fez, ainda dá tempo de ajustar seus objetivos e metas para o ano que acaba de começar. Muitas pessoas acreditam que metas e objetivos são a mesma coisa, no entanto existe diferença entre eles:

Objetivo é o que você quer conquistar, atingir. Exemplo: trocar de carro, realizar uma viagem, mudar de emprego, casar, ter filho, etc.

Meta é pensar no tempo e nos meios que o farão conquistar determinado objetivo. Ou seja, é preciso traçar um plano: preciso tomar 2L de água por dia, vou colocar uma garrafa de 2L na minha mesa do trabalho, tomar metade dela até a hora do almoço, a outra metade até o fim do expediente. Outro exemplo: durante 12 meses, economizarei um valor mensal estipulado para daqui a um ano fazer a viagem dos meus sonhos.

Embora não sejam a mesma coisa, objetivos e metas andam lado a lado. E para conquistar nossos objetivos e metas, é preciso ter foco. Eu costumo listar todos os meus objetivos e repassá-los constantemente para ver se estão seguindo o caminho certo para atingi-los. Minha lista é dividida em categorias:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

08 jun 2015

Coração materno, só quem é mãe entende

por
Gabi Miranda

Família, Maternidade

Coração materno armazena sentimentos que só mãe entende

coração materno

Coração Materno

Filhos,

Vocês são os únicos que estiveram colados por nove meses em meu coração.
Conhecem o ritmo e as batidas dele.
Um dia descobrirão: enquanto esse som bate, o universo está em ordem.
Podem dormir tranquilamente.
Não há o que ter medo.

Vocês são os únicos que estiveram colados por nove meses em meu coração.
Conhecem o ritmo e as batidas dele.
Um dia descobrirão: enquanto esse som bate, o universo está em ordem.
Podem dormir tranquilamente.
Não há o que ter medo.

Vocês são os únicos que estiveram colados por nove meses em meu coração.
Conhecem o ritmo e as batidas dele.
Um dia descobrirão: enquanto esse som bate, o universo está em ordem.
Podem dormir tranquilamente.
Não há o que ter medo.

compartilhe!

0

comente!

26 maio 2015

Meus filhos são do mundo

por
Gabi Miranda

Comportamento, Desabafo, Maternidade

filhos-sao-do-mundo

Lembro do meu medo de perder todas as primeiras vezes e gracinhas do Benjamin. Sentimento cravado no peito quando voltei ao trabalho e o deixei no berçário, aos cinco meses de vida. Perderia cenas clássicas do filme da vida do meu filho e quem assistiria seriam pessoas desconhecidas pra mim que talvez me narrariam os acontecimentos sobre o desenvolvimento daquele ser que eu tinha colocado no mundo. Ouvindo, eu sentiria ciúmes e vontade de chorar por perder momentos ímpares e sentiria meu coração de mãe se quebrar por não fazer parte daquele momento.

A primeira vez que Benjamin engatinhou foi, para minha surpresa e felicidade, na frente da minha mãe. Não senti ciúmes e nem tristeza, pelo contrário. Aquele dia corri feliz para casa, ansiosa para os meus olhos verem o que minha mãe tinha narrado e mais feliz ainda por ter sido com ela, que me narraria tudo detalhadamente, e, principalmente, porque não era qualquer pessoa. Era a minha mãe, avó dele, que tinha Benjamin como seu filho de ouro. E de certa forma era.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

08 maio 2015

Perdi minha mãe e aprendi a sentir gratidão

por
Gabi Miranda

Comportamento, Desabafo, Maternidade

perdi-minha-mae

Minha mãe seguia a filosofia da Sei-cho-no-ie. Uma das máximas dessa religião é agradecer e ser grato, principalmente aos antepassados. Então, além da fé que ela possuía, minha mãe sentia muita gratidão pela vida e pelas pessoas. Vivia dizendo que tínhamos que ser gratos pelos pais que tínhamos. Hoje eu entendo mais o que ela queria dizer com isso.

Uma vez li um texto de Eugênio Mussak, na revista Vida Simples, no qual ele explicava que existe uma diferença entre agradecimento e gratidão. Agradecer tem a ver com ato e educação, claro é nobre e fortalece as relações. Mas gratidão “é um sentimento, algo que se carrega no peito, que pertence à pessoa como um valor, uma filosofia de vida”.

Quando perdi minha mãe, aprendi algumas coisas. Após um ano da morte dela, sinto-me feliz e com o peito cheio de gratidão. É claro que morro de saudades e tem dias que sinto vontade de chorar de tanta falta que ela me faz. Já fiquei deprimida me achando uma bosta de filha por estar me sentindo feliz em tão pouco tempo após sua morte. Mas imagino que minha mãe queira me ver bem. A minha felicidade no momento, vem de encontro com o meu sentimento de gratidão. Ando feliz com a vida, essa que foi me dada pela minha mãe. Feliz com a pessoa que me tornei, com a família que construí e tudo isso tem o dedo dela.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

16 abr 2015

26 semanas de gestação e a organização dos sentimentos

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

Estamos com 26 semanas!

26 semanas

Outro dia uma amiga que ainda nem é mãe cobrou de mim “está na hora de atualizar o blog, contar mais sobre esse novo bebê”. Não é só ela que cobra. Outras amigas e leitores também cobram. Eu também me cobro. Mas eu estava sentindo certa dificuldade para estabelecer uma conexão com esse meu estado interessante, o que mexia com meu estado emocional. Esse bebê, assim como Benjamin (e quase tudo na minha vida) foram planejados. No entanto, as duas gestações me pegaram não de surpresa, mas de supetão. A primeira, prevista para 6 meses após parar os métodos conceptivos, chegou no primeiro mês. A segunda, chegou no terceiro mês de tentativa, mas quando eu já estava pensando em desencanar um pouco e focar em uma viagem de férias dessas com duração de 30 dias.

Em ambas, passei muito mal no início. Dessa segunda vez acho até que foi pior e atribuo ao meu estado de saúde e físico, o abalo no estado emocional. Entre idas e vindas ao pronto-socorro, também fiquei de licença médica por quase 15 dias, o que me afastou do trabalho e me deixou isolada em casa, sozinha. Tudo isso mexeu muito com meu emocional. Eu pensava muito em como seria a gravidez, ter dois filhos, pensava na possibilidade de passar mal a gestação inteira (porque a gente acha que não vai passar nunca aquilo tudo, que os hormônios não vão se estabilizar), e, principalmente, sentia muita falta da minha mãe não estar por perto me apoiando, me acompanhando no hospital, segurando a minha mão e sofria ao pensar que ela também não estaria por perto após o nascimento do bebê.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

08 dez 2014

O tipo de mãe que sou: quase (im)perfeita

por
Gabi Miranda

Desabafo, Maternidade

tipo-de-mae

Eu não arrumo a mochila da escola…
não faço a lancheira…
não leio a agenda…
normalmente não sou eu que arrumo ele de manhã para sairmos…
raramente o acordo com beijinhos (essa manhã foi um dia atípico)…
e raramente sou eu que faço o leite dele pela manhã e a noite também…
não entro numa briga para ele vir tomar banho comigo, pegunto uma vez e como a resposta é sempre “não”, viro as costas e tomo o meu banho…
ocasionalmente levanto de madrugada para atendê-lo…
não sou portadora de paciência infinita…
não grito muito com ele e nunca bati nele…
eventualmente o coloco para dormir…
ah se não fosse o pai que ele tem…
e mesmo com todos esses meus não afazeres, ele me beija, me abraça e me ama de um jeito que só nós sabemos.

Fico a me perguntar…

Que tipo de mãe eu sou?

Eu faço um carinho nele que ninguém mais faz igual…
meu colo também é diferente…
quando o acordo com beijinhos, ele acorda de bom humor…
antes de sair me certifico sempre de estar levando uma blusa para ele…
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

21 out 2014

Conselhos e sentimentos

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

selo_2anos

Tive vários conselhos e sentimentos durante a gravidez, mas os melhores foram:

🙂 Você vai ser a melhor mãe que o seu filho pode ter;
🙂 Você vai descobrir que é mais forte do que imagina.

Esse último, inclusive, me emocionou demais. Eu que era a pessoa mais cagona medrosa do mundo, descobri que sou mesmo mais forte do que imaginava. Hoje posso dizer que não tenho medo de nada, exceto de uma coisa: de morrer. Acho que antes eu nem pensava nisso, mas agora penso que não posso morrer de jeito nenhum pois tenho o meu filho para criar, educar, apresentar esse mundo, proteger, abraçar e encher de carinhos.

*

Dia desses recebi um conselho que sem dúvida foi o melhor dos últimos tempos, que é para eu ficar atenta aos meus instintos de mãe…e eu estou.

*

Quando temos um filho precisamos estar preparados para o inesperado. Nada mais é possível programar. Você vive em função dele.

*

“Filho” virou minha palavra favorita, adoro pronunciá-la e faço com gosto, com orgulho, cheia de bossa.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

01 set 2014

12 dicas para renovar as energias no mês da primavera

por
Gabi Miranda

Organização, Terapia do lar

renovar as energias

Primavera na Turquia, por Humberto Peixoto

Chegou o mês da esperança. Bem-vindo, Setembro!  Esse é um mês que me deixa feliz. Mês da primavera, de renovar as energias, de enxergar as perspectivas com outros olhos. Mês de mudança, de fazer aquela faxina na casa e na alma. De limpar e reorganizar. Mês do desapego: de destralhar a casa e o coração, doar coisas que não usamos mais e deixar ir embora as coisas que não nos fazem bem, que atrapalham nossa felicidade. Momento de ter coragem para, assim como as flores, se abrir para as novas possibilidades. Para renovar as energias e começar bem a primavera, listei algumas coisas que serão prioridades na minha vida nesse mês:

1. Destralhar o quarto e organizar o guarda roupa do Benjamin;

2. Dar um UP no quarto do casal;

3. Fazer uma limpeza pesada no apartamento;

4. Lavar roupas de inverno;

5. Programar passeios e atividades ao ar livre;

6. Cuidar da espiritualidade;
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

07 ago 2014

Encantamento

por
Gabi Miranda

Uncategorized

selo_2anos

Estar gestante é o melhor estado do mundo. Você se sente iluminada. As pessoas ao seu redor te enxergam assim. Isso acontece no trabalho, na rua, no metrô, em reuniões com pessoas que você nunca viu. Você se torna o ser mais especial do mundo. É todo mundo dizendo que você está linda, radiante, iluminada. E as pessoas não dizem para te agradar, de fato você se torna tudo isso e um pouco mais. É inexplicável dizer o que sinto. Mas eu tenho me sentido uma super herói, cheia de força e vitalidade. Toda vez me pego pensando: estou carregando um ser humano dentro de mim. Tem outro ser aqui dentro! Uma pessoinha!!! E como a Dani me disse bem no começo: “agora você tem que se cuidar, pois são dois corações batendo aí dentro”. Sim, são dois, um acelerado que parece bater mais rápido que o meu que agora vive apertado, mas batendo de tanta emoção. E isso dá tanta força. Eu já não penso mais em mim e sim nesse outro serzinho que cresce aqui. O jeito de ver a vida muda. Você passa a viver em estado de graça. E se dá conta de quanta coisa tem para apresentar a quem vai chegar, que pra você pode até ser tudo velho, mas que se tornará tudo novo, encanto, beleza, vida, luz, felicidade, sempre. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

04 ago 2014

O que fazer nos próximos meses para realizar os projetos do ano?

por
Gabi Miranda

Organização, Terapia do lar

Como realizar os projetos do ano?

O ano mal começou e já está acabando. Alguém duvida?! Dias desses encontrei no rascunho do blog, um post no qual listava meus objetivos para 2014. O mês do texto era fevereiro, nem deu tempo para postar e março entrou dando uma voadora na minha vida. Perdi a noção do tempo e a vontade de fazer qualquer coisa. Mas a vida continua e não dá pra ficar se lamentando e vê-la passar da janela. Temos que acompanhá-la. 

Analisando meus projetos, não era nada difícil de concretizar. Refiz cálculos e metas, listei tudo de novo e decidi correr atrás do tempo perdido. Eu sou assim, preciso ter tudo definido, planejado e de preferência escrito. E fiz uma avaliação geral de todas as áreas da minha vida:

  • materna – estou sendo a mãe que quero ser? Tenho feito passeios com Benjamin? Estou sendo negligente com sua saúde? (em julho já inciamos uma agenda de consultas – pediatra, dentista e agora em agosto tem otorrino marcado) Como esta nossa rotina? Ser mãe não é fácil e ocupa grande responsabilidade da nossa vida e para darmos conta de tudo, precisamos de organização.
  • Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!