13 set 2012

Das coisas que me arrependo durante a gravidez

por
Gabi Miranda

Desabafo, Gravidez, Maternidade

De ter chorado os três primeiros meses inteiros e principalmente de ter desejado não estar grávida. Tudo porque no início eu não estava vendo graça em ser grávida, não eram as mil maravilhas que pensei que seriam, porque eu acordava passando mal e ia dormir passando mal. E vomitava tudo o que colocava pra dentro, por onde passava.

De não comer verduras. Eu nunca comi (e continuo sem comer) qualquer verde que seja. Não gosto, tenho aflição, não acho saboroso (e não preciso experimentar pra saber que não gosto e pronto). Quando engravidei o que mais ouvi foi “agora tem que comer verduras”. No início me esforcei, mas como passava mal pra caramba, as tentativas não tiveram sucesso. Com 7 meses e pouco de gestação entrei em paranoia. Achava que Benjamin teria algum problema e se tivesse a culpa era minha por não comer verduras. Foi um período horrível emocionalmente, pois imaginava coisas horríveis que podiam acontecer com Benjamin. Pensava a todo instante que se eu sou o que como, meu filho também seria e ele não comeria verduras porque ao invés de enviar esse tipo de alimento pra ele, eu enviava batatas fritas. Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

06 set 2012

E quando chega a segunda gravidez

por
Gabi Miranda

Livros, Puericultura

Preciso contar uma novidade para vocês…..

Fala-se muito sobre a primeira gravidez, encontramos inúmeros assuntos a respeito que esclarecem nossas dúvidas, mas porque ficamos grávidas uma vez, a segunda gravidez não merece a devida atenção? Siiiiim…! Recentemente foi lançado o livro “A segunda Gravidez”, da série “A bíblia da Gravidez”. Indispensável para quem está pensando em ter o segundo filho, o livro aborda assuntos e dúvidas comuns das mulheres que querem engravidar novamente (ou que já estão grávidas).

Todo mundo fala que uma gravidez não é igual a outra, logo nem tudo que é abordado na primeira gestação serve para a segunda. Um dos assuntos que achei apropriado no livro, são as dicas de como preparar o primeiro filho para a chegada do irmão (a). Mas o livro apresenta várias outras dicas como: o melhor momento para engravidar; rotina de consultas; cuidados com o corpo da mãe e com o bebê; amamentação (durante a gravidez – pode continuar amamentando primeiro filho (?!); e após o nascimento do segundo); cuidados pessoais; como preparar a casa para a chegada do segundo filho; como manter a relação com o parceiro (reservar tempo para vocês dois, intimidade, desejo sexual); parto (cesária e normal – independente de como foi o primeiro); além de preocupações da mãe de segunda viagem (sim, as preocupações sempre existem!). Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

13 mar 2012

E por falar em música…

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Esse é tema da semana lá no Mamatraca. Fiquei super surpresa ao entrar lá hoje e ver o assunto. Música muito me agrada! E o vídeo da Carol Passuello?! Gente, está demais! Adorei a interpretação!

Durante minha gestação a música “Pra você guardei o amor” me tocou de forma especial e acho que é a que mais traduz o sentimento que nasceu em mim enquanto gerava meu Ben. E toda vez que eu cantava, Benjamin se movimentava muito (resta saber se era um pedido “pelo amordedeus manda essa mulher calar a boca” ou se ele gostava).

Pra você Guardei o amor
(Nando Reis e Ana Cañas)

Pra você guardei o amor
Que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar
Senti, sem conseguir provar
Sem entregar
E repartir.

Pra você guardei o amor
Que sempre quis mostrar
O amor que vive em mim, vem visitar
Sorrir, vem colorir, solar
Vem esquentar
E permitir.

Quem acolher o que ele tem e traz
Quem entender o que ele diz Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

07 mar 2012

Parto – Pode sentir medo, mas sem deixar de viver o que tem que viver

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

Embora eu faça parte do grupo de pessoas mais medrosas do mundo, gostaria muito de ter um parto natural. Por vários motivos. Por ser medrosa demais, eu prefiro sentir dor a ser cortada de 10 a 15 centímetros sete camadas de tecido da minha barriga. E não me venha com o papo de que “hoje a cesárea é a melhor coisa do mundo, não sente dor nenhuma, após o parto é tudo tranquilo”, etc, etc, etc. Odeio quando alguém vem com esses papos pra cima de mim. Geralmente, são pessoas que fizeram cesáreas ou pessoas que não tem ideia nenhuma do que estão falando (essas me deixam mais puta da vida ainda).

Antes de continuar, vale fazer aqui uma ressalva: sou a favor da cesárea quando se é necessária.

Mas atualmente virou convencional. A gestante negocia com seu médico a data e hora do parto do seu filho. Os bebês nascem em horários comerciais. E a maioria das mulheres marca cesárea por comodidade e não necessidade. Elas não querem sentir dor nenhuma! O sexo denominado frágil, mas conhecido por aguentar mais que os homens simplesmente não quer sentir a dor do parto! Contraditório isso. Você carrega o bebê durante 40 semanas, passa por sensações maravilhosas, únicas e chega na hora “H” não quer sentir dor?! Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

15 jan 2012

CRESCER: O que você diria a uma amiga que está grávida?

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

Acho maravilhosa essa campanha da revista Crescer divulgando o curso online que eles oferecem gratuitamente. Eles perguntaram a mulheres que são mães o que elas diriam para uma amiga grávida. O primeiro vídeo que vi, quase no final da gestação, me deixou mega hiper emocionada me fazendo chorar em frente ao computador. Os conselhos pareciam ter sido feitos especialmente pra mim, mas foram feitos para todas as grávidas. Reproduzo aqui alguns que são os meus preferidos e que diria para minha prima Domi, a grivadíssima do ano.

“Você vai ser a melhor mãe que seu filho pode ter” – esse eu ouvi de uma amiga quando eu ainda estava grávida, e seu filho vai lhe dizer isso sempre com os olhos.

“Prepare-se para o inesperado” – realmente acontecem coisas que você até então não imaginara.

“Tire muitas fotos da sua barriga, você vai sentir falta dela” – eu achava meio papo furado, mas é a mais pura verdade do mundo! A gente sente muita falta do barrigão, já de cara, na maternidade, o bebê já está fora e você continua acariciando a barriga (coisa de louco!), depois toda vez que vê uma grávida bate uma saudadezinha. Eu tirei muitas fotos da minha barriga (até book fizemos!). Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!