31 maio 2016

Escreva uma carta à mão para seu filho

por
Gabi Miranda

Destaque, Maternidade

Carta de amor é escrita não para dar notícias, não para contar nada, mas para que mãos separadas se toquem ao tocarem a mesma folha de papel.
Rubem Alves

carta-escrita-a-mão-bossa-mãe

Pinterest

Em tempos de tecnologia avançada, onde não usamos mais papel e caneta, e correspondência são só contas (e olhe lá, porque até isso chega por códigos de barra no celular), resolvi escrever cartas à mão para meus filhos. A ideia é produzir algumas coisas como causos engraçados, histórias de família, textos pequenos, lembranças e até reunir alguns textos do blog mais destinado a eles. O blog já tem centenas de textos e duvido que um dia meus filhos leiam tudo o que está aqui. No entanto, acredito que se encontrarem um caderno ou um envelope, assim com a letra da mãe, talvez isso tenha uma força maior e desperte a curiosidade deles.

Esse desejo surgiu ao mexer numas coisas guardadas da minha mãe. Faltavam alguns dias para meu aniversário de 35 anos, há um mês, e precisava sentir a presença dela de alguma forma. Fui lá fuçar e revi várias coisas escritas por ela. A letra da minha mãe. Não sei explicar, mas é bom ter a letra dela estampada ali. Pensar que ele pegou naquele papel, que tem as impressões digitais dela. Mesmo que isso me faça pensar nas impossibilidades…
Clique e continue lendo!

compartilhe!

21

comente!

22 dez 2015

Árvore de Natal

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

Imagem do Google

Imagem do Google

Nessa época do ano é comum ficarmos mais nostálgicos. Eu sou por natureza e fico ainda mais em fim de ano. Começo a pensar em tudo o que passou no ano, faço balanço das metas atingidas, começo a pensar nos objetivos para o próximo ano. Lembranças da vida, em geral, como a infância e das pessoas que amamos, ficam mais persistentes. Duas músicas antigas, sempre me fazem refletir sobre essa coisa louca que é viver e, recentemente, ao escutá-las, o coração ficou do tamanho de uma ervilha. Uma delas é do Lulu Santos, na qual ele fala que nada será como foi um dia. A outra é da Cássia Eller,  “Por enquanto”, e mexe comigo porque eu já cheguei a acreditar que tudo era pra sempre.

Nada do que foi será
de novo do jeito que já foi um dia
tudo passa, tudo sempre passará,
a vida vem em ondas como o mar,
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

24 jun 2015

Festas caseiras

por
Gabi Miranda

Festas, Scrap Bossa

Festas caseiras

Imagem do Google

No último domingo, 21/06, fizemos uma festinha para comemorar os 4 anos do Benzoca. No sábado, enquanto preparava os docinhos fui levada para uma doce viagem à minha memória afetiva. Lembrei das festas caseiras de aniversário que minha mãe sempre produzia com muito amor e empenho pra mim e para minha irmã Luana.

O dia da festa era um dia de alegria do começo ao fim. A música rolava solta enquanto minha mãe corria pra lá e pra cá preparando tudo. Era um agito só. Eu e minha irmã roubando docinhos enquanto minha mãe batia o bolo, aquele que durante anos fez parte dos nossos aniversários: floresta negra. Minha mãe lembrava que faltava um ingrediente e corria a ladeira até o Supermercado Ourinhos para comprar. Ela tinha mania de vestir eu e a Luana de roupa igual. Nunca entendi, afinal, não somos gêmeas… Acho que era para nenhuma ter ciúmes – só isso explica. Minha mãe preparava tudo sozinha, fiquei pensando como ela conseguia esse feito. E na hora da festa estávamos todas de banho tomado, com roupas novas, cabelos penteados, impecáveis. Inclusive, ela.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

05 nov 2014

Tem coisas que só a nossa mãe faz

por
Gabi Miranda

Família, Filhos, Maternidade

Outro dia, li a coluna “Travessuras de Mãe”, de Denise Fraga, na revista Crescer, onde ela comentava que um colega de trabalho, durante o inverno, era acordado pela mãe, com uma caneca de leite quente ainda na cama. Ele terminava o relato assim: esta memória é fundamental para minha existência. E aí Denise fala que na mesma hora sentiu como um golpe. A cupa de mãe. Pois nunca acordou seus filhos com caneca de leite ainda na cama. A diferença entre a mãe do colega e ela: a primeira não trabalhava fora e ela sim.

nossa mãe

Adoro a Denise, adoro todos os textos dela que leio, inclusive, adorei esse, que me fez lembrar da minha mãe e reafirmar a mãe que eu quero ser. Mas acho que não é desculpa o fator trabalhar fora, para esse tipo de ato (acordar o filho com canequinha de leite) ainda não ter acontecido. Minha mãe trabalhou fora desde que me conheço por gente, tinha dois empregos, afinal nunca foi fácil criar duas filhas sozinha. Saía cedo de casa e chegava com o dia acabando – sempre por volta das 23:30.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

28 out 2014

Barulhinho bom

por
Gabi Miranda

Família, Maternidade

Barulhinho bom

Essa semana me dei conta como é gostoso morar em frente uma praça. Nesses dias de calor, acordo com o canto dos pássaros. Eita barulhinho bão…! Todos os dias eu e Benjamin tomamos banho de sol. Ele no carrinho, eu com um livro na mão. O sol, a sombrinha, os passarinhos, aquela brisa no rosto…ai que delícia! Vou sentir saudades desses pequenos momentos com meu filhotinho. Hoje ele percebeu os passarinhos, sei lá o que ele enxerga, mas ficou atento aos movimentos e barulhos dos pequenos voadores. Em certo momento meu Ben começou a tagarelar alto e só dava ele e os pássaros na praça numa competição gostosa.

Taí, agora o canto dos pássaros vai me lembrar esses momentos com o pequeno Benjamin. Na pressa do dia a dia esquecemos certos detalhes que fazem a diferença e dão certo sentido a nossa vida. Hoje me dei conta como certos barulhinhos fazem parte da nossa memória afetiva. Lembrei de um em especial: na casa dos meus avós Biga e Roque, tinha um enfeite com pequenos sininhos que ficava pendurado na porta da sala, toda vez que alguém abria a porta, os sininhos tilintavam. Ao lembrar disso foi como se escutasse novamente o barulhinho. Som de infância.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

21 out 2014

Conselhos e sentimentos

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

selo_2anos

Tive vários conselhos e sentimentos durante a gravidez, mas os melhores foram:

🙂 Você vai ser a melhor mãe que o seu filho pode ter;
🙂 Você vai descobrir que é mais forte do que imagina.

Esse último, inclusive, me emocionou demais. Eu que era a pessoa mais cagona medrosa do mundo, descobri que sou mesmo mais forte do que imaginava. Hoje posso dizer que não tenho medo de nada, exceto de uma coisa: de morrer. Acho que antes eu nem pensava nisso, mas agora penso que não posso morrer de jeito nenhum pois tenho o meu filho para criar, educar, apresentar esse mundo, proteger, abraçar e encher de carinhos.

*

Dia desses recebi um conselho que sem dúvida foi o melhor dos últimos tempos, que é para eu ficar atenta aos meus instintos de mãe…e eu estou.

*

Quando temos um filho precisamos estar preparados para o inesperado. Nada mais é possível programar. Você vive em função dele.

*

“Filho” virou minha palavra favorita, adoro pronunciá-la e faço com gosto, com orgulho, cheia de bossa.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

06 out 2014

Saudades

por
Gabi Miranda

Uncategorized

selo_2anos

Meu pai outro dia disse que sonhou com Benjamin fazendo bagunça em cima da mesa (sozinho) lá na casa de Campo Belo. Pena que meu Ben nunca vai conhecer essa casa de um jeito que ela já foi um dia…

“São muitos e milhões de jardins, e todos os jardins se falam. Os pássaros dos ventos do céu – constantes trazem recados. Você ainda não sabe. Sempre à beira do mais belo. Este é o Jardim da Evanira. Pode haver, no mesmo agora, outro, um grande jardim com meninas. Onde uma Meninazinha, banguelinha, brinca de se fazer Fada… Um dia você terá saudades… Vocês, então, saberão…” Guimarães Rosa

É preciso ter saudades para saber…

*

Texto escrito em 30 de abril de 2011

compartilhe!

0

comente!

02 out 2014

Amor

por
Gabi Miranda

Uncategorized

selo_2anos

Agora dei pra me perguntar se você sente que é amado. Faço um carinho no seu rosto e você abre um enorme sorriso. Sim, você sabe que é bem amado.

*

Texto escrito em 01 de julho de 2011. Benjamin tinha 16 dias de vida.

 

compartilhe!

0

comente!

01 ago 2014

O melhor cheiro do mundo

por
Gabi Miranda

Bebê, Filhos

Só descobrimos o melhor cheiro do mundo quando nos tornamos mães. O melhor cheiro do mundo é de filho. Cheirinho de bebê. Cheirinho da baba. Até o cheirinho de chulé. Filho tem cheiro embriagante. Se pudéssemos preservar esse cheiro, eu colocaria num vidrinho.

Esse texto abaixo, de um livro da Danuza Leão, define bem sobre o melhor cheiro do mundo.

“…Mas existe um cheiro que só as mulheres conhecem. É o que elas sentem quando estão enxugando seus bebês depois do banho. É preciso que não haja uma só pessoa por perto num raio de 200 metros para não haver interferência de qualquer ordem. Sem nenhuma presença estranha – nem mesmo a do pai -, mãe e filho vão poder dizer bobagens e rir de coisas que eles vão entender. Depois do talco a mãe vai botar o nariz no pescoço de sua cria e cheirar com todos os seus cinco sentidos. No princípio, timidamente, mas cada vez mais forte, até quase arrebentar os pulmões de tanto amor. Na hora a gente não sabe, mas um dia vai saber: não existe nada igual a esse cheiro nem a esse momento, e nunca vai haver um melhor. Porque esse é o cheiro da vida.” (Os cheiros, do livro Danuza Leão e sua visão do mundo sem juízo)
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

01 jul 2014

Festa de aniversário do craque Benjamin

por
Gabi Miranda

Festas, Scrap Bossa

Entrei o ano pensando em fazer uma festona de aniversário para meu Ben. Como a nossa vida pode mudar em um curto espaço de tempo, a minha mudou. Perdi vontade de fazer qualquer coisa em 2014. Por mim, me trancaria num quarto e dormiria até não querer mais. Mas eu tenho pessoas maravilhosas ao meu lado, que me fazem enxergar diariamente a beleza da vida. Um doce para quem adivinhar quem é uma delas….  Festa de aniversário do craque

BENJAMIN! BENLINDO!

Eu precisava fazer algo por ele. Então decidimos fazer uma festinha no lugar do festão. Foi uma pequena comemoração para 30 e poucas pessoas, apenas familiares e aqueles amigos pau pra toda hora.

Não teve mega produções de decoração, bolo especial, comidinhas diferentes. Para não ter trabalho nenhum e porque também não estava tão entusiamada, contratei o serviço de Buffet e fizemos praticamente um festival de crepes. Só no dia da festa me dei conta que não tinha comprado toalhas para as mesas do salão. No mesmo dia, achei por acaso, um tecido com o tema da Copa e comprei alguns metros.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!