31 mar 2017

Sobre dar exemplos

por
Gabi Miranda

Destaque

Quais exemplos você dá para seus filhos?

Imagem Google

Dia desses, recebi por engano algo (gostoso pra caramba) que era para outra Gabi. Percebi a confusão e não cheguei a pensar: e agora, vou comer ou vou avisar? Avisei. Combinamos que eu deixaria na portaria para que pudessem retirar. Um horinha depois a pessoa me contatou dizendo que eu podia ficar com o presente alheio, pediu-me outro favor e agradeceu imensamente por eu ter avisado. Mas agradeceu muito mesmo. Agradeceu demais. Por eu ter avisado e por ser tão querida.

Oras, como assim? Meu peito até estufou de alegria. Pela gratidão da moça, por eu ter ganhado um presente por acaso, que nem era pra mim. Mas ela não tinha nada que agradecer tanto. Porque é assim que tem que ser. Eu estava só fazendo o meu dever como cidadã. Só estava exercendo a educação e exemplos que recebi da mamis. Se não me pertence, devolvo. Pra mim é algo natural.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

29 mar 2017

Por que as pessoas desestimulam as viagens com crianças?

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade, Viagem

Em janeiro fechamos nossa viagem de férias/2017. A data da viagem está longe ainda, mas para não acontecer como ano passado, que eu e marido não conseguimos casar nossas férias, dessa vez nos planejamos e fechamos tudo com antecedência. Uma coisa me surpreendeu muito! Quando comento com alguém sobre a viagem, a pessoa geralmente responde com uma pergunta: mas vocês vão levar as crianças??? Ou quando falamos o destino, as pessoas comentam de forma pejorativa: vocês vão pra lá com as crianças? Alguns afirmam: eu não viajaria com meus filhos! Eu não faço viagens com crianças! Deixa as crianças com alguém! E por aí vai… Eu queria saber: por que as pessoas tentam desestimular as viagens com crianças? E como alguém não faz viagens com crianças, sendo seus próprios filhos?

Porque eu não viajaria sem meus filhos

.
Meus filhos não pediram para nascer, eu quis que eles nascessem. Eles fazem parte de mim e enquanto eu puder, quero carregá-los por todo canto como se eu fosse uma mãe canguru. A minha vida não tem graça sem eles. Embora eu sinta sim vontade de fazer uma viagem rápida sozinha com o marido, consigo imaginar a nossa depressão por não ter as crianças por perto. E a gente falando “se o Benjamin e a Stella estivessem aqui…”.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

22 mar 2017

Chata é a mãe!

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade

Amo ser mãe. E queria apenas ser mãe, sem ser chata. Não me disseram, mas uma está embutida na outra. Quando nasce uma mãe, nasce também uma chata.

chata é a mãe

A mãe tenta fazer de tudo para agradar, se desdobra e parece que quanto mais ela faz, mais chata ela se torna. O filho não precisa falar nada! Basta uma boca torta, uma revirada de olhos, uma bufada. Esses sinais anunciam que a mãe é uma chata. Até que um dia a mãe ouve isso com todas as letras, sílabas por sílabas, “QUE CHATA!”. Para impor respeito a mãe olha com aqueles olhos grandes (que filho não tem medo quando a mãe olha assim?!) que perguntam silenciosamente “o que você disse?”. Nada não! Claro, a mãe ouviu demais.

Tenho reparado e chego a conclusão que não tenho encontrado a fórmula e tem me parecido impossível ensinar, aconselhar, sugerir, fazer uma pessoinha enxergar como se faz algo sem ser taxada como chata. Se levo para escovar os dentes a criança caindo de sono, sou a carrasca da escovação. Se peço pra ir pro banho (tenho que repetir 100 vezes a mesma coisa), sou a louca do banho. Se faço comer frutas e verduras, sou um monstro. Se coloco pra dormir cedo, sou chata. Se peço pra fazer lição de casa, sou chata. E se pararmos pra pensar, veja como mãe faz cobranças. Guardou os brinquedos (?), coloca a roupa no cesto de lavar, arruma sua cama, comeu o que hoje (?), apaga a luz, sai desse jogo, desliga a TV, come de boca fechada, não tranca a porta do banheiro, não joga bola pela casa…. A mãe respira e é… (complete a frase)! Perfeita é mãe, só do Joãozinho.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

10 mar 2017

20 coisas para uma criança ser feliz

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

20 coisas para uma criança ser feliz

para uma criança ser feliz

Imagem Google

O que precisa para uma criança ser feliz?

Acho curioso quando alguém fala que não tem condições de ter filhos. Entendo que o fator financeiro pesa bastante. Mas criança nasce pedindo para fazer judô, balé, natação, ir para a escola mais cara? Criança nasce pedindo para viajar, aparelho celular de última moda, tênis e roupas de marca? Pede um quarto cheio de brinquedos? Para uma criança ser feliz acho que precisa tão pouco. Apenas 20 itens e concordo com a lista abaixo do Ilan. 😉

20 coisas para uma criança ser feliz

Por Ilan Brenman, para Revista Crescer, edição de agosto/16

  1. Ter sido desejada pelos pais;
  2. Caso não tenha sido desejada, ter conquistado o coração deles após o nascimento;
  3. Carinho é uma pomada protetora poderosa;
  4. Alimentação saudável (mas uma tranqueira de vez em quando não mata ninguém);
  5. Ambiente minimamente limpo, mas sem neuras demais;
  6. Muitas histórias contadas e lidas;
  7. Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

24 fev 2017

Fantasias maternas – Qual é a sua?

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade

Toda mãe tem fantasias maternas! Algumas inconfessáveis e outras nem tanto. Mas a verdade é que nem todo mundo tem coragem de revelar algumas das suas fantasias. Eu jamais diria o que vou dizer agora, mas fui encorajada depois que assisti o filme Perfeita é a mãe! e me identifiquei com a fantasia materna da personagem feita pela atriz Kristen Bell, dona de casa e mãe de 4 filhos. A fantasia materna dela é sofrer um pequeno acidente de carro, nada grave, algo só para ser internada por duas semanas, dormir o dia todo, ver TV sem cansar. Juro, me identifiquei.

Outra fantasia minha: fugir. Passar um fim de semana, sozinha, num hotel aqui em SP mesmo, só pra fazer coisas minhas. Ler um livro numa tacada só. Assistir um filme. Ou novela. Ter a TV só pra mim. Comer o que eu quiser, sem me preocupar em ser um exemplo ruim.

Podem me julgar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

23 jan 2017

Por que a gente quer ter filho?

Quanto mais penso nos problemas, mais problemas acho. Poderia listar uma infinidade de coisas que poderiam me fazer achar a maternidade um eterno cansaço. Nós (digo nós, eu e marido), por exemplo, não temos ajuda de ninguém com as crianças e com a casa. Corrigindo, com a casa temos uma ajudante a cada 15 dias. Claro que não ter ajuda dificulta um pouco mais a nossa vida de pais, mas também já me acostumei com a emoção. Adoraria ter ajuda com as crianças, mas não temos porque falta avó-tia-vizinho-pessoas-de-fé-e-camaradas-pau-pra-toda-obra porque cada um tem a sua vida, porque moramos distantes, porque eu também não sei pedir e aceitar ajuda. Enfim, por n motivos e eu poderia falar um post inteiro sobre isso

Já ouvi que não tenho ajuda em casa porque não quero. Carinha pensativa… Sim, poderia ter uma ajudante diariamente ou três vezes por semana. Seria até um sonho. É uma mão-de-obra cara, um investimento que eu e marido após alguns estudos e análises decidimos não bancar. É uma escolha como tantas outras. Assim como tem gente que tem ajudante diariamente mesmo passando aperto. Enfim, cada um com suas escolhas.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

20 jan 2017

Perfeita é a mãe!

Se você ainda não assistiu, precisa assistir o filme Perfeita é a mãe! Uma mistura de comédia e dramas maternos que garante muita risada

perfeita é a mãe

Perfeita é a mãe mostra a vida de três mães comuns como qualquer uma de nós. Muitas se identificarão. Uma que trabalha fora, em casa, está sempre atrasada e se esforça para fazer tudo da melhor forma para sua família e acaba sendo traída pelo marido. Outra, dona de casa, mãe de 4 filhos, mega submissa ao marido (por sinal, machista). E ainda uma outra, solteira e mais tranquilona, que só quer saber de curtir a vida. Elas se tornam grandes amigas. E como em todas as rodas maternas, no filme tem também o grupinho de mães que se acham perfeitas, que acreditam fazer tudo certinho e se acham melhores mães do que aquelas que fazem diferente delas. E como parece ter tempo de sobra, usam esse tempo para julgar. A partir daí a trama se desenrola.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

16 dez 2016

Dê o seu tempo de presente de Natal para o seu filho

“Minha filha de 3 anos está me implorando um tablet de presente de Natal. Você acha que devo dar? Ela me pede isso toda hora, ela quer muito.”

Pergunta feita por uma pessoa da plateia numa palestra sobre tecnologia. O palestrante recuou um pouco. Aparentemente ficou receoso e preocupado em não julgar aquela mãe. Achei sensato, enquanto minha cabeça estava girando em pensamentos.

 

Google

Porque meu filho me pede um tablet, significa que devo dar?

Criança deveria desejar ganhar um brinquedo, mas a realidade é que muitas crianças pedem mesmo um tablet de presente. Constatei isso ao pegar uma dessas cartinhas que a gente pega nos Correios nessa época do ano. Obviamente, não presenteei a criança com o tal objeto de desejo. Nem para um filho meu eu daria. Porque, como mãe, eu sei que posso e devo escolher o que é melhor para meus filhos.

Um tablet é um presente muito caro para uma criança. Principalmente, uma criança de 3 anos. Tablet não é brinquedo. Um dos meus papéis na vida dos meus filhos enquanto são pequenos, é direcionar o que é importante. E não é importante eles terem um tablet. Nem o melhor nesse momento. Nós temos um iPad em casa, mas que eu comprei pra mim e não de presente de Natal para um dos meus filhos. O Benjamin faz uso do aparelho, mas de forma completamente limitada. Pensando agora, já faz boas semanas que ele nem lembra que tem um tablet em casa. Nem eu lembrava. Não sou contra o objeto, mas sou a favor do uso moderado.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

26 out 2016

Simplesmente mãe

Mãe de casal, mãe de meninas, mãe de meninos, não importa, simplesmente mãe

simplesmente mãe

Desde que Stella nasceu eu passei a expressar que era como ganhar na loteria ter um casal. Até que um dia externei isso, assim despretensiosamente, num grupo de amigas. Eu e essa minha mania de falar antes de pensar! Dizer isso me incomodou e desde então tenho pensado muito a respeito. Primeiro deixa eu explicar o que eu quero dizer com isso. Eu desejei muito ter uma menina, esse sempre foi um sonho. Stella chegou e quem nos acompanha aqui sabe que ela veio num momento da vida me trazendo muitos significados. A euforia e felicidade foram tão grandes que até hoje não encontrei palavras para definir meu sentimento, então passei a  usar essa referência, ter um casal é como ganhar na loteria. Que porcaria de definição!

Dia desses, minha prima, mãe já de um menino, deu à luz a uma menina e eu soltei outra das minhas pérolas. “Bem-vinda ao mundo cor de rosa”. E saí da maternidade com a frase ecoando na minha cabeça. O que eu quis dizer com aquilo? Obviamente, era algo como bem-vinda ao mundo dos flus flus. Não adianta fugir, existem algumas diferenças entre meninos e meninas. A minha menina eu encho de laços, enquanto meu menino é super básico com suas camisetas de super heróis. No entanto, ela já brinca com os carrinhos dele. Ele adorou quando a irmã ganhou uma boneca que já fez parte de suas brincadeiras com seus bonecos heróis.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

13 out 2016

Mãe não tira férias

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade

E chegou a tão desejada férias da mãe que trabalha fora. Mas a minha conclusão é que mãe não tira férias, mesmo de férias!

mãe não tira férias

Planejei milhões de coisas para fazer. Ler aquela pilha de livros da cabeceira. Organizar os armários (não só arrumar, mas limpar tudo por dentro). Passar a montanha de roupas. Colocar a casa minimamente em ordem. Assistir a alguns filmes da infinita lista marcada no bloco de notas do celular. Terminar a séria preferida na Netflix. Fazer um bolo da tarde. Talvez uns biscoitinhos. Uma receita mais elaborada (eu gosto de ir pra cozinha quando tenho tempo). Trabalhar em projetos pessoais. Viajar. Descansar. E… acabaram as férias. Foram tantos planos como se eu fosse sozinha na vida e não tivesse dois filhos. Aliás, o primeiro ano de férias como mãe de dois. Sendo um dos filhos, uma pitica no frescor de seu primeiro ano e dois meses, com moléculas de energia percorrendo o corpo todo. Ah, também não foram 365 dias de férias, foram apenas 20.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!