18 set 2014

Mônica Mundi – uma volta ao mundo com a turma da Mônica

por
Gabi Miranda

Entretenimento, Maternidade

Chegou em São Paulo o musical “Mônica Mundi – uma volta ao mundo com a turma da Mônica“. Fomos conferir a pré-estreia, no domingo passado, e fizemos uma viagem por países como Portugal, Itália, Japão, França, entre outros, com a turma mais querida desde a nossa infância: Mônica, Cebolinha, Magali, Cascão, Chico Bento e Jeremias, que com muita criatividade e imaginação levam o público para essas viagens de avião, trem, navio e até tapete mágico.

No espetáculo, adultos e crianças se divertem e aprendem um pouco dos costumes de cada lugar apresentado e que fazem parte também da cultura brasileira. São 60 minutos de duração, com 15 minutos de pausa, mas ninguém da plateia parece ficar cansado e com vontade de ir embora. Muito pelo contrário, quando chega a hora da pausa, ouvimos aquele sonoro uníssono “ahhhhh” das crianças.

Mônica Mundi

A peça está em cartaz no Theatro NET SP, localizado no Shopping Vila Olímpia. Eu, que ainda não conhecia esse teatro, fiquei encantada de tão bonito que ele é, e, uma felicidade genuína por morar numa cidade tão rica culturalmente. Nós paulistas somos privilegiados nesse sentido  (porque o trânsito, afff!!) e temos que aproveitar tudo isso.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

11 set 2014

Só se Deus quiser (Benjamin vai ao passeio)

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Peço permissão para pegar emprestado o título da coluna de Tiago Leifert, na sessão Diálogos, da revista GQ. Em seu texto ele fala que os jogadores de futebol, usam a religião para terceirizar a culpa. Ele diz que a maioria dos atletas agradecem a Deus, mas também o responsabilizam pela qualidade de suas habilidades.

Tiago fala sobre “atribuição”, um campo de estudo da psicologia. Explica: “é uma tentativa de entender o processo pelo qual uma pessoa explica um resultado de um acontecimento. Exemplo de uma atribuição interna, logo benéfica, e que fará a pessoa mudar seu comportamento numa próxima vez: “Fui mal na prova”. Por quê? “Porque eu não estudei”. Exemplo de uma atribuição externa, onde começa o problema: “Fui mal na prova porque meu professor ensina mal”. Essa pessoa terá problema para se motivar na próxima prova, pois acredita não fazer nada.

Resumindo: os atletas entram em campo achando que o fator externo, no caso, Deus, determina o resultado. O resultado sempre está atrelado à sorte ou ao azar do cara. Então fica assim: quando o atleta cobra uma falta que traz um resultado positivo, foi Deus que tocou na bola. E quando eles erram? Segundo Leifert, o problema está aí, quando erram, não querem assumir a responsabilidade. Ou seja, usam a religião para escapar da responsabilidade. Leifert se aprofunda e fala sobre um psicólogo alemão chamado Erich From que dizia que o humano tem medo da liberdade, porque quando você é livre, se torna responsável pelo resultado das suas ações e isso assusta. Clique e continue lendo!

compartilhe!

4

comente!

09 set 2014

Comunicado: chegou a hora do primeiro passeio escolar. E agora?

por
Gabi Miranda

Comportamento, Filhos

primeiro passeio escolar

E aí você está achando sua vida materna tranquila, calma, sem novidades, até que chega um comunicado. Chegou a hora do primeiro passeio escolar do seu filho. Como você reage:

a) acha maravilhoso e responde logo SIM, afinal seu filho está crescendo e é uma oportunidade de você estimular a autonomia dele;
b) fica em pânico! é o primeiro passeio escolar! e, em 30 segundos, pensa em 30 coisas terríveis que podem acontecer!;
c) se questiona se ele não é muito novo para essa primeira vez. Ele só tem TRÊS anos!!!;
d) antes de dar a resposta, envia um questionário para a escola;
e) todas as alternativas estão corretas, mas não exatamente nessa ordem.

Fiquei, ou melhor, estou em pânico. Outro dia mesmo, estava falando que jamais deixaria Benjamin ir num passeio com a escola, pois o achava muito novo para isso. Mas nem esquentava a cabeça com esse assunto, pois acreditava que era algo distante para acontecer. A inocente aqui achava que esses passeios escolares começavam aos 5 anos de idade. Sabe de nada! Agora o primeiro passeio escolar será daqui a 30 dias e eu sofrendo por antecipação – como diria minha mãe.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

16

comente!

15 abr 2014

Cartagena, encantada! Parte 2 – Fim

por
Gabi Miranda

Maternidade, Viagem

Corremos para deixar as coisas no quarto e sair pra conhecer a cidade de Gabo, ela nos convidava: Sejam bem vindos à cidade de O Amor nos Tempos do Cólera. Cartagena. Fomos conferir se ela era igual ao que vimos nos sites. Para nosso deleite, era muito mais do que as fotos mostravam. A cidade é simplesmente encantadora, desde as casinhas e construções antigas, do cheiro, à ventania que deixa o calor ainda mais agradável e até às pessoas calorosas, educadas e bem humoradas. Os colombianos, e em especial os cartageneiros, são pessoas felizes e o cumprimento ao passar por alguém, parece lei, porém espontâneo.

Nesse dia fizemos o passeio de charrete, muito comum na cidade. E não, não  é um mico! Ir até Cartagena e não fazer esse passeio no centro antigo, é a mesma coisa que ir à Veneza e não andar de barco!

Cartagena

No segundo dia foi a vez de conhecer as famosas Ilhas do Rosário e Barú. Os barcos grandes saem do porto até às 9:00h e fomos informados que era até às 9:45h. Chegamos às 9:15h e adivinhem… não tinha mais saídas dos barcos grandes. Tivemos que pegar um meio de transporte marítimo que me recuso a chamar de barco e que mais parecia uma lancha, mas também não era. Definitivamente uma experiência que não viveria novamente se não soubesse o que encontraria onde ele nos levou.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

06 nov 2013

Produto do Ben: Fraldas Huggies para piscina/praia (testado e aprovado)

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Foi só fazer o post sobre o Shampoo Johnson’s que o Benjamin usa, que recebi uma enxurrada  ok foram apenas oito de e-mails de leitores pedindo dicas de outros produtos. Um deles foi fralda para usar na piscina ou na praia. Verão chegando e as famílias querem se preparar.

Sempre me preocupou como seria ir à praia com o Benzoca. Ir à praia com criança requer alguns cuidados preciosos: protetor solar (fator ultra mega blaster), guarda-sol, piscina, água, frutas, leite, bolsa térmica, fralda, roupas, toalha, brinquedos….o resultado é esse aqui ó:

blog-fotos

Um monte de tralha empilhada num corpo de um pai, que mais fica parecido com um cabideiro. O ombro da mãe também carregado de tralha em mais uma bolsa.

As minhas maiores preocupações eram:

1. o que dar de comer para ele. Mas logo isso foi selecionado, porque levei frutas lavadas e geladinhas na bolsa térmica. Banana, principalmente, fruta preferida do meu Ben. Biscoito água e sal e lanchinhos. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

05 nov 2013

Sugestão de passeios

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Eu disse no post “Primavera, seja bem-vida” que primavera-verão pra mim é sinônimo de viagens e passeio. Esse ano viajamos pouco porque estávamos com as energias financeiras concentradas no apartamento. Mas tem bastante coisa para fazer na nossa cidade. Além de verão, logo mais chegam as férias dos pequenos. Eu e marido fizemos uma listinha de lugares que queremos passear com Benzoca nessa estação. A lista não é muito grande e parece possível cumprir. Muitas dessas dicas, pegamos no livro São Paulo com crianças – Turismo, Cultura e diversão na maior cidade do Brasil.

Clique em cima do nome do local e conheça um pouco do lugar.

compartilhe!

0

comente!

tags: ,

04 set 2013

Cadê as vagas nos estacionamentos?

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Em maio entrou em vigor na cidade de SP, uma lei que obriga estacionamentos comerciais como shoppings e hipermercados a terem vagas no estacionamento destinadas para gestantes e mães com crianças de colo (até dois anos).

A lei devia ser regulamentada em até 90 dias, o prazo expirou e reparei:  não vi nenhuma mudança nos estabelecimentos que frequento. Não que eu vá usar esse benefício! Benjamin completou 2 anos há dois meses. Mas acho esse um benefício super justo.

Já vi várias vagas de idosos vazias quando o shopping está lotado, enquanto grávidas não podem estacionar nelas. Assim como já vi pessoas jovens usufruindo da vaga de idoso na maior cara de pau.

Quando estava grávida, lembro que essa era minha única reivindicação no quesito preferencial – já tinha assento e filas preferenciais. Vagas nos estacionamentos. É torturante em dias calorentos, por exemplo, uma grávida rodando para procurar vagas. E o que falar com crianças de colo?, além de todos os trambolhos: carrinho, bebê conforto, bolsa do bebê, bolsa da mãe, aff…! Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

08 ago 2013

Dica de Passeio – Utilidade Pública

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Domingo de Sol, família reunida e feliz, tudo mais-que-perfeito para passear. Pensa um pouquinho, sugere algumas opções, avalia o que é bom, bonito, barato, perto e que o Benjamin vá gostar e logo definimos nossa escolha… vamos ao Zoológico!

Então começam os preparativos. Separa a roupa que ele vai vestir, roupa leve porque tá calor. Separa muda de roupa para levar na mochilinha, vai que muda ou tempo ou ele vaza a fralda. Depois os apetrechos para a higienização/desinfecção , fralda, lenço, pomada, etc. Em seguida os mantimentos, lanchinhos, fruta, água, kit-leite, biscoitos. Por fim, as quinquilharias que variam de acordo com o tipo do passeio, como câmera fotográfica, boné, algum brinquedinho ou livro, CDs ou DVDs pro carro, carrinho do bebê. Armada toda essa estrutura de um show de rock, embarca tudo no carro e vamos embora.

A caminho, tudo perfeito, tudo maravilha… Até chegar à metade do trajeto. Cerca de uns 3km antes do parque, tudo para. Trânsito, trânsito, trânsito. Densidade demográfica alta, marcha do carro lenta. Começa a peregrinação rumo aos bichos. Quinze minutos depois, nem 100m à frente. Meia hora depois, mais uns 200m. Uma hora depois, nem sinal do tal parque, muito menos dos bichos. Não é possível que todo esse mundo de gente esteja indo pro Zoológico. Não é possível que não tenha mais vaga no estacionamento, são 2.000 vagas, consultei no site. Não é possível que não vamos entrar… Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

24 maio 2013

Vamos brincar! – Semana Mundial do Brincar (blogagem coletiva)

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Eu tinha pensado em levar o Benjamin em um lugar diferente, que ele não tivesse ido ainda, como era a proposta da Aliança pela Infância para a Semana Mundial do Brincar. Mas não consegui cumprir. O máximo que consegui fazer foi levar Benjamin ao Shopping Garden – uma loja de paisagismo e jardinagem onde tem flores, plantas e acessórios. Parece estranho, eu nunca imaginei, mas é engraçado como um lugar como esse pode ser atraente para as crianças na idade dele. Benjamin adorou! Correu, viu diversas plantas, brincou dentro de um vaso gigante!


Aqui em casa valorizamos momentos de prazer com o Benjamin. Não gostamos muito de ficar trancados em casa, então sempre que podemos levamos Benzoca para passear, brincar fora, ter contato com o mundo.

O que percebo é que cada vez mais as crianças (e nós adultos) são bombardeadas com tecnologia. Isso desde muito novinhos. Percebam os brinquedos, cada vez mais barulhentos e cheios de botões. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

31 mar 2013

Domingo de Páscoa e o primeiro passeio sem os pais

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Começou assim. Minha irmã se convidou para almoçar em casa no sábado, véspera da Páscoa. Eu disse que almoço não ia rolar, mas um lanche da tarde podia ser. Ela queria passar o dia com seu sobrinho/afilhado. Resolvi o problema falando que ela podia pegá-lo em casa pra passar o dia com ela e não ficarem trancados na minha casa.

O fato é que não aguento mais receber na minha casa, não estava com vontade de cozinhar no feriado e que já estava na hora da minha irmã começar a exercer plenamente sua função de tia/madrinha.

A escolhi como madrinha por motivos óbvios. Para alguns, o papel dos padrinhos já não tem tanta força assim. Mas eu acho que esse título é importante na vida dos filhos, sou da opinião que os padrinhos tem papel fundamental na vida dos afilhados, acredito mesmo que são os segundos pais. Então escolhi minha irmã, porque sempre intuí que ela desempenharia muito bem esse papel: o de segunda mãe. Porque confio nela acima de tudo. Além disso, temos um vínculo eterno que sabemos não vai romper a qualquer discussão boba. Minha irmã também tem personalidade firme, não cede facilmente, não é de fazer todas as vontades, não é permissiva. Ou seja, ela contribui para a educação do Benjamin e não somente o mima. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!