10 jan 2014

Minhas férias com o Ben – por Roberto Piffer

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Nesta virada de ano, as férias da família foram do Ben com o papai. A mamãe teve apenas uma semana de folga, no ano-novo, mas depois voltou a trabalhar. E o que fizemos nesses dias em casa? Veja abaixo na redação das “minhas férias”:

A primeira semana de férias foi a do Natal, então pouca coisa pode ser feita. Preparativos para as festas, junto com véspera e dia do Natal, visita ilustre em casa (o vovô veio diretamente do Rio para passar a semana). Basicamente só encontros familiares e comilança nessa semana.

Natal

Na semana seguinte, a do réveillon, nós é que fomos pro Rio. Aproveitamos a semana de folga da mamãe e passamos uma semana de muito calor por lá, com idas à praia, mergulhos no mar, passeios e muito ventilador ligado. Contamos com a companhia da Capitu, nossa cachorrinha, e tudo ocorreu muito bem. Muito suco pra hidratar.

praia

 

paineiras-patinete

Na terceira e última semana das férias, foi a vez do papai e do Ben aproveitarem a casa nova. Entre um reparo e outro dentro da casa, e arrumação do saldo da bagunça da mudança, fizemos alguns passeios nos arredores do prédio, conhecendo o que o bairro oferece de bom, fomos à pediatra e brincamos bastante. Também não deixamos de ir um dia sequer à piscina. Com direito à boia nova do Woody e enfiar a cabeça debaixo d’água sem chorar. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

18 dez 2013

O arquiteto da mudança e uma despedida

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Há meses tenho tentado organizar nossa vida para mudança. Fiquei planejando, tentando destralhar a casa tudo para que na última hora as coisas fossem tranquilas. Mas você pensa que foi tudo como planejei?! Nada!

Na véspera da mudança ainda tinha muita tralha coisa para encaixotar. Ficamos eu e marido até tarde encaixotando e ainda assim não terminamos. Além de tudo, é muito complicado fazer uma mudança com uma criança de dois anos mexendo em tudo, correndo pra lá e pra cá, solicitando os pais a todo instante.

Nossa, como esse período foi cansativo! Eu ainda estou mega cansada, indisposta e com muito sono. Encosto e sou capaz de dormir em segundos.

Surpreendente foi o marido. Antes da mudança ele estava lá todo tranquilo e sossegado, como de fato ele é. Mas no dia da mudança foi ele quem cuidou de tudo so-zi-nho. Terminou de encaixotar as coisas, instruiu lá a empresa de mudança e acreditem: organizou todo o apartamento na medida do possível. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

07 ago 2013

Brincadeiras

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Engraçado que, não sei porque, mas minha relação com o Ben envolve muita brincadeira. Acho que é o jeito dele, só pode! Ele é uma pessoa feliz, de sorriso fácil e natural. Dono de uma gargalhada gostosa de ouvir, que não é nada difícil de aparecer.

Parei para pensar e rapidamente consegui eleger pouco mais de 10 ocasiões que costumam render boas brincadeiras:

  1. Hora de tomar banho: ele leva os brinquedos pra água e tome gargalhada;
  2. Ao acordar: não é sempre, mas tem dia que o sorriso aparece antes mesmo dele abrir os olhinhos;
  3. No almoço: o bocão para estacionar a colher cheia de arroz é uma festa;
  4. Entrar na escolinha: se tiver acordado, nem despede de você direito, já corre para brincar com os amiguinhos;
  5. Ir embora da escolinha: faz a farra lá mesmo, na frente do portão. Pula, grita, abraça, dá beijo, joinha, sorrisos;
  6. Ir à feira: além de sempre ganhar uma banana na barraca, tem o parquinho ao lado. Não precisa nem comentar, né?;
  7. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

05 ago 2013

O dia em que me tornei pai

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Em 16 de junho de 2011, a Câmara dos Deputados aprovava sigilo para orçamentos da Copa de 2014. O tempo era aberto e seco na Grande S. Paulo, com mínima de 10o e máxima de 23o. A cotação do Dólar era de R$ 1,60. O time do Santos empatara o 1º jogo da final da Libertadores com o Peñarol, do Uruguai, um dia antes e viria a ser tricampeão na semana seguinte. O ex-jogador Edmundo era considerado foragido e fora preso em São Paulo, responsabilizado pelo acidente que se envolveu, em 1995. E o jornal estampava fotos do 1º eclipse total da Lua neste ano.

Mas a principal notícia, para mim, viria precisamente às 22:28h daquele dia comum. A chamada veio um pouco antes, com uma enfermeira que me encontrou num corredor enquanto aguardávamos o resultado de uns exames: “pai, baixou o líquido amniótico, vai ter que nascer hoje!” Parecia um band-aid sendo arrancado de uma vez só, sem tempo para pensar ou reagir. E enfim, naquela noite, fechamos com a chegada do Ben, que personificou toda a nossa felicidade numa pessoinha de pouco mais de 52cm e quase 4kg. Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

01 ago 2013

Reunião de pais (participativos)

por
Gabi Miranda

Maternidade

Sábado passado teve reunião de pais na escolinha. Imagina meu sofrimento na semana anterior. Tinha marcado um curso de scrapbook, agendado há 2 semanas, e que acontece a cada 15 dias. Não tinha conseguido ir no anterior e não queria abrir mão de ir nesse sábado (fazer scrap me acalma e eu precisava muito disso).

Acontece que era a reunião semestral, os pais receberiam os trabalhos dos seus pequenos, no meu caso, saberia como anda o desenvolvimento do Benjamin na sua nova turma (há 3 meses meu bebezico mudou para o maternal). Não queria abrir mão de ir na reunião da escolinha também.

A vida é cheia de escolhas, mas vida de mãe é uma escolha só: filho!

Mas se o filho tem pai, e um pai participativo, porque não dar espaço para ele?

Conversei com o marido e ele não viu problemas em ir no compromisso escolar do nosso filho. Senti que ele até gostou da ideia – confirmação que tive ao encontrá-lo após a reunião.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

28 mar 2013

Metáforas (por Roberto Piffer)

por
Gabi Miranda

Maternidade

Hoje o serviço de utilidade pública do Bossa Mãe entra em ação. Aos leitores e leitoras que ainda não tem filhos. Mas que não são menos importantes por isso. Vamos (tentar) explicar o sentimento da relação pais-filhos. Algo que é tão comentado nos textos cotidianos, porém que fica pouco palpável para quem ainda não é papai ou mamãe.

Os 11 exemplos abaixo são simples e muito práticos. Dá para ter uma ideia (mais ou menos) real da dimensão do que você vai sentir quando seu filho – ou filha – chegar…

De qualquer forma, aconselho usar sua imaginação para se sentir dentro de cada situação e ficar mais legal. Vamos lá:

– Quando o nenê nasce, é como descobrir que passou num vestibular concorrido. Você sabe que batalhou duro, que foram meses de dedicação e, assim que acontece, você sente uma felicidade-alívio desconcertante;

– Uns 2 dias depois do nenê nascer você vai pra casa, é como ser ganhador da mega sena. você é só sorrisos, só alegria… Cumprimenta gente que você não conhece, acha o trânsito uma beleza, é só felicidade;
Clique e continue lendo!

compartilhe!

5

comente!

25 mar 2013

Bosso pai? Existe isso? (por Roberto Piffer)

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Caras (e caros) leitoras (es)… Nessa semana, uma pequena mudança no Bossa Mãe. Nossa ilustre blogueira tira umas mini-férias do blog e, para não deixar tudo jogado ao vento, faremos uma experiência diferente: para cobrir a ausência de sua autora, teremos o pai do Ben escrevendo alguns pequenos textos nesta semana.

Alerta 1: as férias da Gabi não tem nada a ver com promessa ou Sexta-feira Santa, que isso fique bem claro. Não foi nada premeditado, será apenas uma pausa para recarregar as baterias, renovar as ideias e voltar com tudo para o blog.

Alerta 2: o pai, que por sinal já escreve este texto, não possui a mesma habilidade da autora do blog. Portanto, não esperem o mesmo nível dos textos postados até hoje. O que vocês podem esperar é uma visão paterna da coisa toda. Vai ser legal, diferente.

Bom, definido tudo isso, fui pesquisar se o tal do bossa tem masculino. Não encontrei resposta, mas confesso que não me empenhei muito nessa pesquisa. Então, caso não exista mesmo, acabei de tomar a liberdade de criar. Logo, essa será a semana bosso pai do blog. Clique e continue lendo!

compartilhe!

5

comente!

22 fev 2013

Rotina Compartilhada

por
Gabi Miranda

Comportamento, Maternidade

Aqui em casa não aderimos à cama compartilhada, mas recentemente adotamos a rotina compartilhada.

A rotina compartilhada consiste em dividir as rotinas do Ben entre os dois: pai e mãe.

Devo confessar que eu monopolizei duas das rotinas desde que Benjamin nasceu: banho e hora do sono. Sempre fui eu que dei banho e o fiz dormir. SEMPRE! Claro que algumas vezes deixei o marido fazer, mas era uma vez a cada 30 dias.

No início do ano propus ao marido:

– Vamos compartilhar algumas rotinas?

Ao que ele respondeu de bate–pronto, sem ao menos ouvir a proposta:

– Vamos!!! Você vai acordar mais cedo um dia sim outro não para cuidar dele?

(é SEMPRE o marido quem acorda mais cedo para arrumar o Benjamin antes de sairmos durante a semana)

Respondi: – Calma, não precisa radicalizar…

Bom, o que o marido não sabia era que a intenção da minha proposta era beneficiá-lo. Em segundo plano, juro, estava a minha intenção de ter uns breves momentos livres.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

5

comente!

04 dez 2012

Coração de Pai

por
Gabi Miranda

Livros

Martha Medeiros, em seu texto “Pequenas Felicidades”, diz: “Livro. Encantar-se com um autor que você não conhecia.” Em tempo (antes de o ano terminar), me encantei pelo jornalista José Ruy Gandra, pai dos meninos Paulo e Pedro.

O nome do livro já diz tudo. Esse é realmente um livro escrito com o coração. O coração de um pai. É repleto de sensibilidade, sentimento, histórias, emoção… Nele, Zé Ruy narra a relação profunda entre pai e filhos, irmãos, avô.

Enquanto nós mães tentamos descobrir táticas para o desfralde, só um pai é capaz de resolver o problema com “amiguinhos de chumbo”. Só um pai é capaz de ensinar valores como generosidade, lealdade e coragem com Heitor – o príncipe herdeiro de Tróia, sendo o pano de fundo. Só um pai para encarar com muito bom humor a puberdade, afinal tudo passa depois do primeiro “pelão preto”. Foi como disse Patrícia Poeta, “mesmo ao criar filhos, homens lidam com seus erros e acertos da única maneira que sabem: como homens”. Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

30 ago 2012

Como lidar com a perda

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Essa semana marido perdeu um amigo. Há semanas esse amigo teve um AVC o que deixou o marido bastante impressionado. Nunca vi o marido tão triste, tão abalado e comovido como ele ficou depois da visita que fez ao seu amigo no hospital. Na segunda-feira a noite chegou a notícia já esperada.

Qualquer notícia ruim na TV sempre me abalou. Fosse um incêndio, um acidente de carro, crianças assassinadas, doentes, abandonadas etc. Já chorei inúmeras vezes a dor dos outros. De forma indireta eu sentia a dor como minha também. Sempre me coloquei no lugar do outro, sempre achei que podia ser comigo, com a minha família. Acho que as mulheres de um modo geral, sentem mais essas questões que permeiam a existência humana. E depois da maternidade acredito que só acentua mais ainda.

E com os homens? Acredito que eles sintam, mas de forma mais contida. Eles não pegam pra si, não se envolvem e não verbalizam tanto quanto nós. Até que um dia se tornam pais e percebem que a vida é muito frágil e maior do que o seu próprio mundo. Na segunda e terça-feira o marido ficou triste, aluído… Em determinado momento desabafou “Pôxa, meu amigo, tão jovem. Estou pensando em sua filha, apenas 3 anos, não vai tê-lo por perto, não terá lembranças dele”. Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!