15 abr 2014

Cartagena, encantada! Parte 2 – Fim

por
Gabi Miranda

Maternidade, Viagem

Corremos para deixar as coisas no quarto e sair pra conhecer a cidade de Gabo, ela nos convidava: Sejam bem vindos à cidade de O Amor nos Tempos do Cólera. Cartagena. Fomos conferir se ela era igual ao que vimos nos sites. Para nosso deleite, era muito mais do que as fotos mostravam. A cidade é simplesmente encantadora, desde as casinhas e construções antigas, do cheiro, à ventania que deixa o calor ainda mais agradável e até às pessoas calorosas, educadas e bem humoradas. Os colombianos, e em especial os cartageneiros, são pessoas felizes e o cumprimento ao passar por alguém, parece lei, porém espontâneo.

Nesse dia fizemos o passeio de charrete, muito comum na cidade. E não, não  é um mico! Ir até Cartagena e não fazer esse passeio no centro antigo, é a mesma coisa que ir à Veneza e não andar de barco!

Cartagena

No segundo dia foi a vez de conhecer as famosas Ilhas do Rosário e Barú. Os barcos grandes saem do porto até às 9:00h e fomos informados que era até às 9:45h. Chegamos às 9:15h e adivinhem… não tinha mais saídas dos barcos grandes. Tivemos que pegar um meio de transporte marítimo que me recuso a chamar de barco e que mais parecia uma lancha, mas também não era. Definitivamente uma experiência que não viveria novamente se não soubesse o que encontraria onde ele nos levou.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

02 abr 2014

Um lugar na janela

por
Gabi Miranda

Livros

Nenhuma viagem é igual; nenhum viajante, idem…Muitas pessoas consideram viajar uma fuga. Pra mim, é encontro”. (Martha Medeiros, em Um Lugar na Janela)

Sempre fui uma pessoa de fazer planos. Minha vida sempre foi muito planejada: conseguir um emprego, juntar dinheiro, casar, ter um filho aos 30, nas férias fazer uma viagem e assim por diante. Acho que nunca estive aberta para imprevistos e, hoje sem dúvida nenhuma, sei que é preciso estar.

Em janeiro marquei minhas férias. Março. Um mês antes de sair de féria fechamos o destino. Cartagena, Colômbia. Duas semanas antes da viagem O imprevisto aconteceu  em nossas vidas. A morte da minha mãe. Pensamos em cancelar a viagem, mas diante de tantos “vai ser bom para você viajar”, viajei ou… fugi.

Nenhuma viagem é igual, mas essa foi uma fuga, uma tentativa de esquecer a realidade. Não esqueci. É algo impossível. Todos os dias e todas as noites revivi mentalmente tudo o que aconteceu do dia 10 ao dia 12 de março.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

10 jan 2014

Minhas férias com o Ben – por Roberto Piffer

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Nesta virada de ano, as férias da família foram do Ben com o papai. A mamãe teve apenas uma semana de folga, no ano-novo, mas depois voltou a trabalhar. E o que fizemos nesses dias em casa? Veja abaixo na redação das “minhas férias”:

A primeira semana de férias foi a do Natal, então pouca coisa pode ser feita. Preparativos para as festas, junto com véspera e dia do Natal, visita ilustre em casa (o vovô veio diretamente do Rio para passar a semana). Basicamente só encontros familiares e comilança nessa semana.

Natal

Na semana seguinte, a do réveillon, nós é que fomos pro Rio. Aproveitamos a semana de folga da mamãe e passamos uma semana de muito calor por lá, com idas à praia, mergulhos no mar, passeios e muito ventilador ligado. Contamos com a companhia da Capitu, nossa cachorrinha, e tudo ocorreu muito bem. Muito suco pra hidratar.

praia

 

paineiras-patinete

Na terceira e última semana das férias, foi a vez do papai e do Ben aproveitarem a casa nova. Entre um reparo e outro dentro da casa, e arrumação do saldo da bagunça da mudança, fizemos alguns passeios nos arredores do prédio, conhecendo o que o bairro oferece de bom, fomos à pediatra e brincamos bastante. Também não deixamos de ir um dia sequer à piscina. Com direito à boia nova do Woody e enfiar a cabeça debaixo d’água sem chorar. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

11 set 2013

Londres e Paris com crianças

por
Gabi Miranda

Livros

Ai que saudade eu sinto de Paris. Com certeza o lugar mais lindo desse mundo.

blog-fotos

Fomos em 2011 e já parece distante. Nosso projeto era fazer Londres e Paris, mas então engravidei e achamos melhor ficar só em Paris (eu tinha medo de acontecer alguma coisa e tal).

Imaginem a nostalgia que senti ao receber em casa o livro “Londres e Paris com Crianças”, da jornalista Thais Caramico, Editora Pulp. Abre um parênteses: posso falar?! Eu adooooro a Pulp!!! Sempre publica muita coisa legal de pessoas bacanas que dão dicas mais bacana ainda para fazer com as crianças. Fecha parênteses.

Imagem do site da Editora Pulp

Foi uma nostalgia gostosa e não do passado, mas de um futuro. Nosso plano é voltar à Paris com Benzoca, mas a ideia é esperar ele crescer um pouco mais. E quem sabe completar o roteiro original: Paris e Londres.

O livro despertou ainda mais esse nosso desejo. A obra nos fez descobrir que existem lugares deliciosos para ir com as crianças nessas duas cidades.Traz dicas para entreter as crianças, sites úteis, mini dicionário, atrações turísticas, parques, museus e centro culturais, lugares onde comer, fazer compras e até dormir. Ainda mata várias curiosidades. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

tags: , ,

15 fev 2013

O que era doce acabou…

por
Gabi Miranda

Maternidade, Viagem

E o ano começou! Não é o que diz o povo brasileiro? “O ano só começa depois do Carnaval”. Pois bem, então o ano começou cedo este ano. Carnaval acabou e ainda estamos na metade do mês de fevereiro, geralmente o carnaval acaba e pronto já adentramos em março

É tradição passar o Carnaval no Rio de Janeiro. Eu sempre passei. Primeiro com as amigas, depois com o namorado que posteriormente virou marido e agora com Benzoca. Ano passo ele ficou doente lá no Rio mesmo e não pude sair com ele de casa. Este ano já pudemos curtir o clima carnavalesco da cidade.

image

Esse período de Carnaval já é curto, com criança fica menor ainda. Antes, íamos na sexta à noite, encarávamos a estrada de madrugada. Mas com a chegada do Benjamin isso ficou inviável. Não tenho mais coragem de pegar a estrada de madrugada. Acho que nem é uma questão de coragem, mas sim de bom senso. Pode acontecer um monte de coisa desagradável que com bebê pode ficar pior ainda. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

03 jan 2013

Feliz 2013

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Sempre passei a virada do ano em Copacabana. Adoro. Há dois anos isso não acontecia, um porque passamos em Paris (com meu Ben na barriga) e o outro porque Benzoca tinha apenas 6 meses e optamos por ficar em casa. Dessa vez emendamos férias e viemos para o Rio de Janeiro.

Quem conhece sabe que é impossível ir de carro à praia na noite do dia 31. O esquema é de metrô. Já estava tudo combinado: se não chovesse – como é de praxe no final do ano, íamos para a praia com o Benzoca. Eu só não lembrava o quanto era desagradável pegar o metrô: a fila para entrar é enorme, mas isso é o de menos. O pior mesmo é o que está por vir após a fila: vagão extremamente cheio de gente, uns moleques  gritando e degradando batendo no teto do trem e muito, muito calor.

Meu Ben estava estrategicamente em seu carrinho, confortável até que de repente começou a suar, ficar incomodado e quando vimos já estava berrando incontrolavelmente. Nem tirar do carrinho o fez acalmar. Aquilo cortou meu coração, me senti uma mãe irresponsável e sem um pingo de bom senso. Onde já se viu submeter o bebê de um ano e meio àquela situação. (ao engravidar todos achavam que eu seria cheia de frescura com o bebê, diziam que ele seria o “bebê da bolha”, eu também achei isso. Mas eu e todo mundo fomos surpreendidos, me tornei uma mãe cuidadosa, mas sem muita frescura. Só que às vezes eu acho que exagero no lance de ser desencanada). Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

20 nov 2012

Feriado com vovô e mais uma palavra

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Nesse feriado fomos até o Rio de Janeiro, na casa do meu pai. Fomos na quinta e voltamos no domingo. Assim bem rapidinho. O tempo não ajudou muito, não deu nem para levarmos Benzoca para conhecer a praia.

Benzinho chegou todo tímido e em menos de meia hora estava desbravando a casa. Esse menino está tão moleque e tão sapeca.

Como disse, foi uma viagem rápida, mas deu para curtir a família. E Benjamin aprendeu mais uma palavra, a mais esperada por meu pai:

VOVÔ

Tão pequenininha, mas tão cheia de significado…

Aos poucos vamos proporcionando esses agradáveis momentos para que meu Ben encha a bagagem de memórias afetivas que leva junto ao coração.

Quero que meu filho tenha uma caixa enorme de doces recordações e saiba apreciar as pequenas felicidades. #infância

compartilhe!

1

comente!

23 out 2012

Campos de Jordão fora de temporada

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Todo ano nós damos um pulo em Campos de Jordão. Ano passado não fomos porque foi o ano que Ben nasceu, estávamos em processo de mudanças e tals. Final de semana passada fomos lá e me surpreendi. A cidade não é só favorável para namorar, mas também para ir com as crianças, principalmente agora fora de época.

Outro dia estava procurando uma foto sozinha com Benzoca e percebi que tenho pouquíssimas. Reclamei para o marido e ele aproveitou para fazer um book nosso.

(Esses abraços do meu Ben são meu porto seguro, pra onde quero voltar todos os dias após o expediente….)

A cidade está tranquila, sem aquela multidão da temporada, o clima agradável, os preços (de tudo) mais baixo, dá para curtir um bocado.

Fomos com os avós paternos do Benzoca, o que foi ótimo, pois deu para aproveitarem um pouco mais do netinho.

Eu e marido temos uma foto nessa mesma esquina. O endereço indicado na placa era o mesmo endereço que morávamos logo quando nos casamos. Aproveitamos para fazer um registro da família que cresceu. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

tags: ,

10 out 2012

Buenos Aires para todos (Parte 2 – Fim dessa, mas o começo de várias outras aventuras)

por
Gabi Miranda

Maternidade, Viagem

Então, vamos aos lugares que conhecemos em Buenos Aires…

1º dia: fizemos o reconhecimento territorial do bairro em que ficamos, almoçamos no restaurante Brasas Argentinas, caminhamos e quando demos conta estávamos na Plaza de Mayo, em frente à casa Rosada, a catedral, o Banco de La Nacion. Dali fomos até o Obelisco, a Calle Florida (florida de flor e não Flórida de geografia – piada interna). Voltamos caminhando para o hotel, foi quando passamos por San Telmo.

2º dia: pela manhã fizemos o city tour incluso no pacote, então andamos em todo o centro que já havíamos passado (só que dessa vez debaixo da chuva) e passamos por Palermo, La Boca, conhecemos o estádio La Bombonera, fomos em Caminito.

Os Smurfs vulgo Los Pitufos, na Argentina

À tarde fomos até o El Ateneo Grand Splendid – um lugar que já foi teatro, depois virou cinema e que agora é uma livraria lindíssima, a mais linda do mundo! e ponto turístico de Buenos Aires.  Eu me deparei com essa livraria na Calle Florida e me decepcionei pensando que não era o que eu havia pesquisado. O marido entrou lá e se informou. Aquela era a matriz da livraria. Em 2000 a Grand Splendid foi comprada por uma rede de livrarias. Mas a história do local começa bem antes disso, em 1919, quando o austríaco Max Glücksmann construiu o teatro que se tornou uma grande casa de espetáculos de tango até 1926 quando virou um cinema e permaneceu assim por uns 70 anos. Por lá passaram grandes artistas do tango como Carlos Gardel, Ignacio Corsini e Roberto Firpo. Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

09 out 2012

Buenos Aires para todos (parte 1)

por
Gabi Miranda

Maternidade, Viagem

Até agora estou pensando como os brasileiros podem falar tão mal dos argentinos, só pode ser rixa de futebol mesmo. Eita povo mais agradável, atencioso, simpático, macanudo, como se diz por lá. Comparado aos franceses, os argentinos são pessoas bem mais agradáveis. Há um ano e pouquinho estivemos em Paris e posso dizer que as pessoas lá são bem menos hospitaleiras que os argentinos. O que falar dos garçons? Não sei se por conta da propina = gorjeta (que recebem ao final do atendimento), mas os caras são excepcionais nos quesitos gentileza e atenção. Ok, que alguns taxistas acham que a nossa presidenta Dilma é terrorista e que Maradona e Messi são os melhores jogadores do mundo. A gente não vai brigar por conta disso, né?! Deixa-os sonhando…

Pra não dizer que não vimos nenhuma grosseria, um taxista, apenas um, gritou conosco. Lá eles levam apenas 4 passageiros porque pagam seguro de vida para cada um que levam no carro. Uma noite o hotel chamou pra gente um táxi e esqueceu de avisar que estávamos em cinco, afinal o pequeno Ben contava. O taxista ficou bravo e deu seus berros, o mandamos embora e pegamos outro motorista. Mas foi o único que nos rejeitou e a única vez que pegamos dois táxis e nos dividimos. Todas as outras vezes pegamos apenas um táxi e os cinco foram muito bem recebidos. Antes desse episódio, um desses taxistas havia nos informado que isso era de praxe, mas que ele não recusaria passageiros com um bebê de colo, pois segundo ele aquela vida valia bem mais que todas as nossas juntas. Eu afirmei: sim, como vale…! Clique e continue lendo!

compartilhe!

7

comente!

tags: ,

Página 4 de 512345